INSPIRAÇÕES DO POETA

24 de jan de 2011

Banquete




Daquelas mãos jorram tintas ilusionistas e cego meus olhar se encanta,
No fundo, no canto dos olhos, o objetivo: A cama!
As mãos plurais perdem a linha, jamais o poema, e os dedos advinham,
Amiúde, a cava úmida e expandida, enfim, a rima proclama,

Versos impudicos do subterrâneo confesso em líquido, que é eco,
Na hora mortal, qual estrela falecida na noite antiga.
Ah, se morrer em teu céu, um dia fosse, eu daria voz e vida!
No entanto, sem tuas pedas, minha terra mingua em fadiga.

Escreve na minha cara cretina, de suspirar impossibilidades, a poesia maldita,
Sombra a devorar luz, macho a seduzir fêmea, sem hesitação.
Penetre-me varando linguagem etérea, que tingage idéia, o coito,
Pintura cínica de mulher que come cru o poeta em inspiração.

29 comentários:

Saulo Taveira disse...

Um tesão.

O poeta é sempre um prato cheio à mulher antropofág(l)ica.

Beijos.

Costea disse...

O poeta é ele quem deve abrir os olhos para mostrar-lhe o seu leitor eo caminho correto e não de atalho.
Aplausos para a coragem de escrever tão ousado... :)

Poeta del Cielo disse...

letras que falan muito minha querida amiga... elas senten anhelo desejos ansias... muito bem plasmado no teu poema... belo

saludos
otima semana
abracos de coracao minha querida amiga Ira

Assis Freitas disse...

ritos antropofágicos, a linguagem é orgíaca


beijo

Analuz disse...

Ira brilhante,

Pura luxúria poética...de arrepiar...

Beijinho de Luz!

Franck disse...

Noite de chuva, nada melhor que poesia!
Bjs*

Daniel disse...

Você escreve com a alma,
e nenhuma palavra eu encontro
pra traduzir tão grande poema

Belissima!

Dan

Dilmar Gomes disse...

Olá amiga. Beleza de poema. Lembrei-me de Alan Ginsberg.
Muito bom mesmo.
Um grande abraço.

Antonio José Rodrigues disse...

Banquete, Ira? Não fui convidado, mas degustei as palavras que chegaram a escorrer pelo canto da boca e, involuntariamente, viajei nos pensamentos libertinos. Uma delícia. Beijos de retorno

Jorge Pimenta disse...

do céu aos infernos na boca trémula do poema. o poeta? apenas homem, que como todos os homens há-de cair.
arrepiante!
beijos!

multiberg disse...

como adicto e consumidor voraz dos teus poemas declaro: suavemente tocei. Entrelaçar ''sombra a devorar luz '' com '' comer cru o poeta em inspiração'' é me tornar pequenino em face de tão alta palmeira.
inenarravel.........

Marcelo R. Rezende disse...

Sabe que eu sou assim: cama?
Não sei, mas acho bom, não acho errado, estranho.
Acho natural.
Enfim, amei, gostei.

Nilson Barcelli disse...

Comer cru o poeta é obra... rs...
Gostei do teu poema. És brilhante, mais uma vez.
Beijos, querida amiga.

Iram M. disse...

Um poeta é aquele que acorrenta o leitor e o leitor faz questão de jogar as chaves fora.
A corrente da "face do poeta" eu joguei fora.

Iram

helio.rocca disse...

Sem dúvida, sensual, induz a uma sensualidade carnal extremamente insidiosa. Adorei!

Carolina disse...

Poema ousado, sensual, excelente. É o seu rótulo, seu estilo pessoal.
Abrazos y besos!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Ira! Belo poema, ousado e bastante sensual. Uma forma inteligente de despertar o tesão.

Beijos,

Furtado.

Márcio Kindermann disse...

Um poema da Buscacio! Sem dó nem piedade, que corta, sangra e não suja!
Bj meu

Phivos Nicolaides disse...

Oi querida amiga Ira! Tão gostoso e agradavel de se ler. Beijos, Felipe

ღPat.ღ disse...

E que banquete hein minha querida? É para degustar cada sílaba como um prato principal...

Adoro imenso ler-te!
Mil beijos de carinho e obrigada por sua amizade que me é muito especial!!!!

Érica disse...

Salve Ira!
O poeta, sempre me parece ter a luxúria como fim, apenas age de modo fino, etéreo, por ser inocente do fato de que, no mundo das palavras, ele é vítima.

BjOs pra tu Ira, que tu continue esse furacão!

A.S. disse...

Belo o teu poema Ira!
Linda a expressão poética e a subtileza das palavras!


Beijos...
AL

José Carlos Brandão disse...

A luz da luxúria também ilumina!
Um grande abraço, Ira.

Machado de Carlos disse...

Poemas belos e fatos reais. Fico empolgado lendo você. E leio em voz Alta. Vivo em suas palavras.
Grande Abraço!

AC disse...

Que dizer?
É tal a intensidade dos sentidos que estes se tornam o centro de tudo.
MARAVILHOSO!

Beijo :)

♪ Sil disse...

Iraaaaa do cééééééu!!!

Suas palavras anestesiam!
Tudo junto: emoção, tesão, razão, ão, aõ, ão...ãos.

Mulher maravilhosaaaaaaaaa!

Adoro-te, minha amiga!

Um beijo

Long Haired Lady disse...

tem selinhos pra vc no http://2edoissao5selos.blogspot.com/

bjo!

José Sousa disse...

Este seu blog belissimo do qual gosto muito. Vou continuar a ser seu seguidor e e presseguidor rsrsrs. Seja meu tambem lá em meus espaços.

Um abração, um beijo no coração e um bom fim de semana.

José Sousa

Ira Buscacio disse...

José Souza,

Obrigada, por vir aqui ler meus escrivinhados, o que me deixa mt feliz.
Gostaria de visitá-lo, mas não consigo acessá-lo. Deixe o endereço do seu blog, ok.
Bjs e valeu pelo carinho