INSPIRAÇÕES DO POETA

30 de jan de 2011

A (P) Raça é do Povo!




Atravesso a praça
Desgraça!
A praça é do povo
Polvo
Sem braço
Embaraço
Mas prossigo
Olho no umbigo
Pivete
Febre, peste
A puta insinua
Crua
Vida fácil
Fácil?
Recuo o pau, de arara
Ta na cara
Tocaia
A mina é paraguaia
Cidadão, eu de bens
Reféns
Do sufrágio
Frágil
Vida dura
Candidatura
Sou cheque-ouro
Touro
Sem semêm
Eles temem
A pureza da miss
Bis, bis!
Recuerdos de Ypacarai
E daí
O jardim fez cocô no sapato
Desacato
A culpa é do cão
Sem educação
To no fim da praça
Da ameaça
Salvo dos ambulantes
Dos meliantes
Retrato Pindorama
Lixo sob grama
A erva é minha
daninha
Justiça?
Uma pissa!

31 comentários:

Antonio José Rodrigues disse...

A praça, Ira, é do povo, mas a denúncia é sua. Deveria ser nossa. Pronomes confusos...omissos. Prostituição. Beijos

AC disse...

Um olhar, uma sensação, uma voz...
A dignidade é luta constante, muitas vezes luta inglória. Mas há vozes cujo eco se perpetua. Como a sua.

Beijo :)

Carol disse...

hunf...
algumas poucas ainda são cuidadas e usadas mesmo como praças,
parquinho, namoro, sorvete, cultura...
gosto tanto dessas!

beijo grande!

Fred Caju disse...

Dança, Ira, dança! Que as palavras vão te acompanhar nesse baile de rimas.

Iram M. disse...

Isto é blog da ira,
uma diva
Que se alimenta de poesia
sem gíria
É uma mulher e tanto
um encanto
Que todo mundo admira
sua fibra.

Um beijo, mina amiga.

Jehnny disse...

Nossa como aqui tá diferente! Mais lindo claro.
Adoro seus textos sabia?
Adorei as mudanças de visual ao lado haha bem cool. Vc fez pelo taaz.com?
Beijo e uma semana linda pra ti.

Assis Freitas disse...

recortes do cotidiano que saltam aos olhos,

beijo

Nilson Barcelli disse...

A praça é do povo, mas nem sempre está nas suas mãos...
A tua poesia é desconcertante, mas brilhante. Parabéns por saberes romper alguns tabus do léxico politicamente correcto da nossa língua.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

carmen silvia presotto disse...

A praça é do povo, já a raça deste poema é mais ainda... teu olhar feito uma câmera nos afasta das entrelinhas, nos tira debaixo do tapete para que praça e raça cheguem a todos de fato e de direito.

Um beijo Ira, sempre que entro aqui desperto mais e mais.

Carmen.

Poeta del Cielo disse...

grande verdade nas suas letras amiga querida esa pracas que dao vida pra unos y dor mostra da vida do povo...

saludos
otima semana
abracos

meus instantes e momentos disse...

tenha uma semana iluminada.
Maurizio

Costea disse...

Além disso você tem o talento poético e talento fotográfico. Ira Bom dia!

Dilmar Gomes disse...

Olá querida Ira. Quem tem talento como você, pode se dar ao luxo de brincar de poetar no estilo Hip Hop.
Ah, parabéns pelo aniversário do rebento

Lucas Nícolas™ disse...

Poeta dos tempos atuais! Amei seu blogger! ganhou mais um seguidor nato! abraços mulher! A poesia sempre evoluirá! com você, comigo! com nós loucos e nossa vontade de sempre de sonhar com coisas boas! parabéns!

Lucas Neves disse...

Como você escreve bem!
Faz crescer natural, inspira!
Meus parabéns!
Passo sempre por aqui. Beijo.

I Love Ski Jumping disse...

.. blog bonito;))
Eu realmente gosto dele .. espero que me visitam;))

Carolina disse...

Bonita, é cantar poesia, eu gosto. Yparacarí, jiji.
Eu amo todas as versões do poeta, mas a peruca loira de cabelo longo é especial! : D

Gabi Pardal disse...

Bela observação...

Kátia Nascimento disse...

Que tudo amigaaaa!! Adorei as perucas kkkkkkkkkkkk. Ficou linda. Sou suspeita... Sou tua fã.
Beijoooos queridona!!

Marcelo R. Rezende disse...

Retratos fragmentados, isso que eu vejo e eu adoro.

Mari Amorim disse...

Retrato do Brasil!
Tenha uma semana cheia dedádivas,boas energias!
bjs,
Mari

Jorge Pimenta disse...

senti flores e canhões apontados aos mesmos alvos.
a pólvora? a terra onde ela germina.
as pétalas? as balas de fogo.
beijinho ainda à procura da linha recta que perdi no ritmo-vertigem da tua língua!

Franck disse...

A sua praça tão cheia de tudo e tão cheia de rima... me pegouna veia!
Bjs*

tossan® disse...

Praça Brasil...Raça Brasil... Genial! Beijo

Phivos Nicolaides disse...

Saludos from Budapest, Hungary!!

♪ Sil disse...

A praça é do povo,
O povo tem a praça,
a praça não tem o povo
A praça ainda é a praça?

Eu tenho uma linda na minha cidade,
tão descrita como a sua, aliás como todas as praças.

Mas o que eu gosto mesmooooo é de me sentar na praça e ver o povo, a banda passar, do lado da Ira.


Lindona, adoroooooooo você.

Beijo da Silzinha!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Érica disse...

Se a raça é do povo? Não tenho dúvidas. Já a praça... já foi do povo? Se foi, foi quando ainda éramos o retrato pindorama. quando éramos terra, solo, mãe, fértil... quando ainda desfrutávamos de nossas palmeiras que foram engolidas pelas praças.

----------------Agora, vem cá! meu, tu tá demais desses looks nunca que eu tenho um rosto tão democrárico assim!

arrasou Ira! como sempre, quando se atreve né!

bjãO

A.S. disse...

Uma bela imagem da sociedade que vivemos, virada do avesso!

Beijos, Ira...
AL

Lily disse...

Que bela e forte letra de música!

Beijos,

Suzana/LILY

BLOG DO PROFEX disse...

Um retrato em preto e branco da indignação urbana.
Ah, parabéns pelo aniversário.
Grande abraço!