INSPIRAÇÕES DO POETA

13 de jul de 2009

Meu Rei!

Na solidão do quarto, diante da tv, meus olhos perdidos em encantamento saudaram a entrada do rei. Um rei nacional. Rebelde e romântico. Provinciano e urbano. Meigo e sedutor. Repleto do mais puro mel. Um doce sabor de sonhos, de felicidades, de dores, de ilusões, de risos, de lágrimas. Um lugar-comum, um espelho, onde o povo se vê refletido, em toda sua humanidade. Receita dos 50 anos de sucesso.
Um rei próximo de seus súditos, que fala de coisas genuínas e cotidianas. Um rei que tem fé e clama: Jesus Cristo! Eu estou aqui. Um rei que sente raiva e grita: E que tudo mais vá pro inferno! Um rei que faz sexo: Nos lençóis macios amantes se dão! Um rei que ama e não tem vergonha em dizer, simplesmente: Como é grande o meu amor por você! Um rei que tem pai, mãe, amigo e milhões de amigos. Um imenso Brasil pop.
Essa identidade com a média é que faz desse homem, uma quase unanimidade. Na sua poesia simplista, virgem e repleta de doçura, ele compõe sua soberania.
Roberto é o nosso rei! Poeta da classe média, dos versos do português ruim, da jovem e velha guarda, da massa.
Durante todo o tempo do show, entre magias, sorrisos e lágrimas, eu e meu desmedido e mundano amor tivemos a sorte de cavalgar por toda a noite...120...150...200 km por hora, entre detalhes e proposta. Além do horizonte! O importante (o mais importante) é que emoções eu vivi.

Um comentário:

Úrsula Avner disse...

Oi Ira, também gosto muito do Roberto Carlos. Escuto músicas dele desde a juventude. Cantor das emoções ! O show em homenagem aos 50 anos de carreira foi emocionante. Bjs.