INSPIRAÇÕES DO POETA

16 de jul de 2009

DO OUTRO LADO DO MAR

Velas tingem de cor o mar e dançam ao destino dos ventos.
Que seja assim, meu viver, a navegar!
Morrer e renascer a cada sopro de sonho e sentimento.
No infinito do tempo amar e amar.

Sob a noite infernal da saudade calada,
Meu peito em desmazelo mergulha na lua partida.
Grita teu nome de rei e não vens. Só a brisa e mais nada
Afaga meus cabelos. Tenho medo de mim. Sentida.

Sem teus beijos de morte, que imagino e nada mais,
Não há pouso e nem ilhas. Sua ausência é fado inexato!
Arrasta meu coração em cacos ao último cais.
Minha alma é vencida de cansaço e de fato.

Ah, Mar, porque me traístes tão cruelmente!
Fui teu indulto na medonha tempestade,
No entanto, me roubastes o bem contente.
Hoje, de melancolia, me vestes e me ardes.

Não me imponhas senhor da imensidão!
A ausência do ser que quero tanto,
Com tal zelo e apego. Deite-me pagão
As margens do Tejo, que no noturno anseio espero o meu encanto!

Que me torture a tristeza necessária.
Desenharei, o rosto dele na rocha e rocha não se desfaz.
Eterna face da saudade diária.
Mas navegar é preciso. É preciso viver. É preciso amor e amor demais.

3 comentários:

Thiago Maia disse...

Huuuuuum, ótimo blog... Bem interessante, a começar pela foto de cartão de visitas!!! Desse jeito nem tem como não seguir este blog.

Belo texto, bem romântico, daqueles que faz a imaginação fluir, reviver, repensar, e ter atitude...

BEIJO

Thiago Maia disse...

Claro, sempre que eu puder aparecerei por aqui sim, gostei do lugar...
BEIJO

Olavo disse...

Um lindo poema..cheio de sensualidade..
Otimo final de semana
Beijos