INSPIRAÇÕES DO POETA

3 de out de 2009

O Medo de Amar




Sei que por vezes, te espremo, tanto, quanto uma laranja, até não haver mais sumo. Consumo tuas reservas. Não é intencional, mas urgente, natural e nosso. Bebo-te até o bagaço, depois traço os restos. Eu não presto, mas sou só uma mulher. Preciso ser perdoada. Preciso ter sentido e acreditar que nasci pra alguma coisa maior, além de poeta.
Quem sabe te amar, do outro lado do mar, me faça ser, apesar de, alguém sem respostas. Alguém em branco, virgem, como o amor que te ofereço. Como a veste de Deus, santificada. Não quero linguagens que me expressem, por favor, me poupem dessa incoerência. Sou um erro acertado, um cego que nunca enxerga, mas vê na ponta da língua e dos dedos, os meus e os vossos pecados. Amar-te pode ser meu último ato.
Sou assustada e careço de mãos, de braços, o que obviamente, me faz inacabada e não há palavra, que me exprima nem rima ou canção. Aquele que me descobre desconhece o que sou. Não basta violar a embarcação! Há de ser clandestino no porão e comer minhas entranhas, as tripas e a dor, depois de ser, apenas feliz. Esse será o meu amor.
Luis, mil vezes Luis, de Reis, de Camões e de Portugal, meu porto surreal, meu imperador. Inundo tua alma de tempestades, que são minhas. Afogo-te em lágrimas dos olhos meus, tão cansados e castanhos de amar e esperar os teus. Perdoe-me, mas me de licença de ser só, de ser eu mesma, pedra de mó, com todas as faces estranhas, com os excessos de quem não quer morrer, apenas pra descansar o coração, com a saudade insana de nós dois e de tudo que a gente, ainda não viveu.
Perdoe-me por tudo que sinto e falo.
Aquele que suporta o medo do outro é capaz de amá-lo.

5 comentários:

Márcio Kindermann disse...

Amor é mesmo um sentimento estranho, desejamos-o como a urgencia dos dias... quando chega recuamos com a mesma urgencia, pois o medo se prosta em nosso peito-dor.
Lindo tudo, cada palavra. Palavra que brota do coração de mulher-poeta com medo de amar.
Lindo fim de semana Ira
Beijo Meu.
MK

Úrsula Avner disse...

Querida Ira,

a intensidade e sensibilidade com as quais você escreve são notáveis. Você coloca na escrita, alma, coração, medula, vísceras, sangue, hormônio... Sorvi cada palavra... Bj com carinho.

Dembiski Poesias disse...

Ola querida...
bélissímo seus escritos... parabéns...
de muito bom gosto e as imagens lindas...
serei um seguidor seu.
beijosss no coração.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Ira! Hoje te superaste. Parece que a mamãe inspiração exagerou um pouco mais na dose. Lindo!

Beijos,

Furtado.

Camilete disse...

Adoro ler tuas poesias ... vc é d+ !