INSPIRAÇÕES DO POETA

19 de dez de 2009

Vida de Morte e Poesia




No crepúsculo, a morte me beija a boca e veloz é o momento, como um vento, frio e cortante, que entra pela fresta desatenta da janela.
Por segundos perco a dimensão doméstica da sala, onde guarda meu corpo debochado, que ri da tentativa frustrada dela. Morte!
Forte é meu organismo, porque tenho raiz de livros e ainda que o barqueiro dantesco me mate na usança dos dias, as palavras me ressuscitam.
Todas as idéias e sentimentos contaminam meu sangue – atiçam nervos e rangem ossos.
Eu, ilustre degenerada escrevo por demência intelectual, porque vasa de mim essa loucura, uma tendência de sofrer e gozar as coisas, sem entendê-las.
Aguardo defunta, sob o congelamento da dor, como quem, no inverno de Toronto lê Quintana e captura o horizonte por detrás de tudo. Intui no cinza, o verdinho jardim.
E cada vez que, meu espírito ultrapassa meu corpo, o sol me enche os olhos de tagarela ansiedade. As geleiras derretem. Derrete a indiferença branca
É essa sacana seiva poética, que me preserva da extinção.
Ainda, que seja só, eu, literalmente, sem o meu amor, não me subordino senão, ao meu dom de sentir.
Trato minhas cicatrizes mal encaradas tête-à-tête e uso qualquer alegria ou infelicidade, como expressão da minha única profissão, que é viver.
Dentro de mim há uma fome galinha, que come essa vida e não vomita!
Cospe os excessos nas frases, ora berradas ora sem querer.
Isso é o que me mata e o que me faz renascer.

11 comentários:

cristinasiqueira disse...

Oi Ira,

Ainda não peguei meu selinho que vi está guardadinho em vermelho a me esperar.
Intensa,é a tortura,o martírio e a lucidez delirante que te abençoa e te basta.Berros implodidos e farto silêncio,Morte e vida ,És assim sem ser SEVERINA!

À você que me lê com o coração,

Suspiro pelo ano que se encerra e nos permite tempo de pausa para reflexão.
Durante um tempo longo fui sentindo,sentindo... as vibrações que circulavam ,claras e obscuras,
rápidas demais,fortes e frágeis,distintas e misteriosas,espertas e inocentes,confiantes e assustadoras,enfim
carreguei por todos os lugares um texto ,um amarrado de palavras que a cada noite se desvanecia,depois se encorpava,até que finalmente em uma tarde
se fez nascer ..."ANTES de TUDO".Senti alívio e o contemplei prosa a se dizer poema com olhos amorosos de mãe quando vê seu filhinho pela primeira vez.
Agora este texto é seu,meu presente de Natal,leia sem pressa,o examine lentamente,deixe-se ser tocada por êle.
Envolva-se com a sinceridade transparente com que o escrevi, com a delicadeza,com o tom suave e meditativo.
Compreenda o amor e a dor do texto,o luto e o nascimento ,a coragem a clamar por bravura,a solenidade,o consolo,a humanidade em nós semelhantes.
"Antes de Tudo"...postei no www.cristinasiqueira.blogspot.com

Feliz Natal

Cris

Tânia Meneghelli disse...

Caracoles, Ira!... Texto irado! Forte e certeiro, gostei.

Aproveito pra te desejar um Natal bem bacana, cheio de paz, tá?

Beijoca!

Márcio Kindermann disse...

Cara, estou numa correria, mas não poderia deixar de vir!
Um Natal Lindo prá voce e todos aqueles que voce ama, um novo ano de novos sonhos e realizações, e que vasem muitas loucuras dessa mente sana ou talvez in... pouco importa, desde que elas estejam aqui traduzidas em palavras escritas e sentidas...
Feliz Natal e Lindo Novo Ano
Bj meu.

Ops seu texto.... Aah!!! seu texto!!!.

Olavo disse...

” A alma é invisível,
Um anjo é invisível,
O vento é invisível,
o pensamento é invisível, e,
no entanto, com delicadeza,
se pode enxergar a alma,
se pode adivinhar o anjo,
se pode sentir o vento,
se pode mudar o mundo com alguns pensamentos.”

Boas festas...

Olavo.

pauloveras disse...

... caramba! Não deixa de ser sedutor. Desejo a você e aos seus um natal muito especial.
Abraços

Fred Matos disse...

Ira,
Não obstante a minha implicância com o uso comercial do "espírito natalino", não tenho como escapar da influência que a data exerce sobre o meu emocional que ainda teima em crer que a humanidade não é caso perdido e que podemos construir um mundo mais justo, sem violências e sem preconceitos. Em suma: sou um ingênuo assumido.
Sendo assim, é inevitável que venha para deixar os meus votos sinceros de que você tenha um feliz natal e que o ano novo não seja apenas uma nova página no calendário, mais um marco de mudança que inaugure uma nova era de paz e felicidades para todos e que possamos realizar todos os nossos melhores sonhos e projetos.
Felicidades.
Beijos

Tânia Meneghelli disse...

Ira, voltei pra te desejar um 2010 bem bacana, com um montão de inspiração, tá?

Beijoca!

Olavo disse...

O nosso caminho é feito
Pelos nossos próprios passos...
Mas a beleza da caminhada...
Depende dos que vão conosco!

Assim, neste NOVO ANO que se inicia
Possamos caminhar mais e mais juntos...
Em busca de um mundo melhor, cheio de PAZ,
SAUDE, COMPREENSÃO e MUITO AMOR.

Um ótimo 2010.

Olavo.

Renato Baptista disse...

Ira...

Deixando o meu abraço e que 2010 seja um ano lindo para vc e todos aí em casa.
Seja muito feliz.

Renato Baptista

Cavaleiro dos Dragões disse...

Adorei seu blog
poesia fina
elegante
toca alma
traz calma
acelera e pede a presença para ler
um grande abraço
voltarei mais

CARLA FABIANE... disse...

Olhe, tenho uma alma muito prolixa e uso poucas palavras.
Sou irritável e firo facilmente.
Também sou muito calmo e perdôo logo.
Não esqueço nunca.
Mas há poucas coisas de que eu me lembre.
(Clarice Lispector)
Beijos...