INSPIRAÇÕES DO POETA

7 de ago de 2010

Meta-de Dois




São duas bocas, abertas, num bacanal de letras. Línguas,
De anarquistas - self-identified - Fodem poemas aos olhos,
Por prazer e dor, das noites deleitosas e intermináveis.
Onde rimas matam-se e renascem contamináveis.

Dois amantes varridos de loucura - eclipsados – Famintos,
De sentimentos de Caeiro aos pés dos versos. Metafísicos?
Um homem e uma mulher nus, nessa solidão mortal de par,
Em súbita harmonia vestem-se de Pessoa e passam a amar.

14 comentários:

Sil.. disse...

Ira, bom diaaaaaa minha querida.

Ira, você já escreveu um livro?

Se ainda não, escrevaaaa!

Seus textos são maravilhosos, palavras simples, claras, onde a gente se lê!

Muitooooooooo lindoooo!

Um abraço, e saiba que você me é uma querida!!!!!!

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

que mimo, que delírio, que necessidade temos desse amor feito tbm de poemas e solidões.....

querida, obrigada!

Adriana Borghi disse...

UAU!!! Que bonito!
Da paixão... passamos a amar. Certo?!


Beijos!

daniel duarte disse...

Que belo amor... que possuí a mesma beleza de uma poesia, um amor quente e terno cheio de emoções. Um amor verdadeiro um amor marcante...

Belíssima poesia!!! Bravo!!!

Gostaria de agradecer sua visita e dizer que seja muito bem vinda ao meu mundo... todo sábado tem atualização nele

F. Otavio M. Silva disse...

Profundissimo....
Alem de diferente e... E... Não sei... Axo q poético... não sei se é essa a palavra certa. UM romance de encaixe perfeito esse.

"Onde rimas matam-se e renascem contamináveis." Adorei!

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Duas bocas, dois amantes... havia tanto p'ra dizer.

Bjoooooo

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá, muito grato pela visita, como também pelas palavras...Gostei do deu belo texto...Espectacular....
Cumprimentos

aluisio martins disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
aluisio martins disse...

sobre o que se foi, é...
http://desmundosdalua.blogspot.com/2009/08/fisiologia-do-silencio.html

Márcio Kindermann disse...

... nessa solidão mortal de par.
...cara, é real.

Linda semana prá vc Ira, de sol e azul.

bj meu

Sil.. disse...

Ira, lindíssimaaaaaaa!

Passei pra te deixar um abraço.
Uma semana maravilhosaaaaaaa pra ti!!

Fulvio Ribeiro disse...

Ira...
A cada post, me encanto um pouco mais com sua maneira de escrever.
Você é muito boa!
Grande Abraço.

AC disse...

Tenho para mim que amar como Pessoa nunca será em par...

Beijo :)

A.S. disse...

Insano bacanal
derrame de desejos,
prazer e dor.
na dantesca solidão
os amantes lambem
as estrelas
a palavra cadente
desafia o caos!

BeijO
AL