INSPIRAÇÕES DO POETA

26 de ago de 2010

Sarjeta




Há um homem sorrateiro por ruas e sarjetas.
Vivendo de lixo e piedade.
Aos trapos e resignado desafia a vergonha dos homens.
Seu rosto inexato acusa longo exílio de sentimentos.
Afetos subjugados.
No olhar, a tradução perfeita da dimensão da noite.
Sombras e sussurros!
A mente abriga a insanidade necessária,
Que o remete ao éden,
Mas um turbilhão de fúrias pagãs o faz delirar.
Não há vestígios de passado. Biografia.
Somente um livro de páginas em branco ilustra seu peito.
Penso que poderia ter sido humano.
Sei lá, quem se importa?

Há um homem com a alma em farrapos.
Desgraçado na vicissitude do longo caminho,
Onde sepultou morto os amores.
Embriagado de dúvidas, feito barco a afogar em marés turvas.
Cheirando a éter e medo.
Entorpecendo os sentidos até o vértice da tortura mental.
Trançando passos em meio à escória:
Meretrizes, pederastas, gigolôs, ladrões...
Um colecionador de desprezos.
Apenas, um monte de vísceras e ossos putrefatos.
E daí, quem se importa?

Quem se comove ao ver suas mãos fétidas e pedintes
Ou sua falta de nome?
Quem se inquieta ao passar por seu corpo inexato
Consumido de intolerância, sobre a sarjeta fria?
Quem considera, talvez,
A tragédia por trás daqueles olhos embotados?
Quem imagina o anseio que lhe existiu no peito,
Onde hoje mingua, de tuberculose e saudade?
Quem paralisa seu tempo a lhe ouvir, quem sabe,
Histórias soterradas?

Há um homem vagando em meio aos edifícios.
Há um homem sem trajes civilizados, sem convicções.
Há um homem débil, silenciando sua existência.
Há um homem atravancando a passagem, enfeando a rua,
acenando nossa culpa.
Há um homem morrendo de medo, vergonha, dor e descaso.
Há um homem morrendo!
Sei lá, quem se importa?

15 comentários:

Sil.. disse...

Ira, lindeza de pessoa!

E quem se importa, minha amiga?
Alguns...
Eu fico olhando esse homem vagando (Homens tantos espalhados) e fico me perguntando:
Ele nasceu...ele teve uma familia.
Ele deve ter amado...porque hoje estar assim? Porque??
E dá uma pena...
Nessas hora me bate uma vontade de ter uma lâmpada mágica nas mãos...Ô meu Deus, se dá...

E a vida continua....e tantos homens vagando..
Homens, mulheres, crianças....

Um beijo minha flor!

Sil.. disse...

Olha nossa sintoniaaaaaaaaaaaaaa rs

Eu, no seu blog, e vc no meu!!!

Isso é porque eu te adoroooooooo Ira.

E ameiiiiii as músicas, e acho mesmo que somos velhas conhecidas.

Te olhei, e olha a amizade que surgiu.
Essa amizade vai longeeeeeeee, veio de longe rs.
Eu acredito nisso.

Sei que adorooooo você!
Tão bom conhecer um ser humano como você, tão bom!!

Beijoooooooooo

Lila disse...

Querida amiga....faz falta nosso papo no msn viu...mas, espero o tempo ac almar...não demora ! rs
Sorrir é comigo, mesmo qdo a alma chora.
Linda, linda a poesia...verdadeira...e quem se importa? o(

Bjsssssssss

Carolina disse...

Hola Ira, é uma criação profundamente sentida, realmente maravilhoso!

Um abraço.

Marcelo R. Rezende disse...

Mas sabe o que eu acho?
Que a gente não olha porque a gente se sente mais mendigo e farrapo que o moço da sarjeta. Minha mãe sempre me diz que a gente necessita ser visto, necessita demais ser notado e quando não acontece, tornamo-nos pedintes: de amor e de atenção.
Eu sempre acho que quando a gente começa a ignorar esse tipo de situação e miséria é porque a nossa miséria é maior, mesmo não a notando.

Beijo Ira, seu blog é uma delícia.

Fernando Santos (Chana) disse...

belo texto...Espectacular...
Quem se importa ?
Até quando ?

A noite acendeu as estrelas porque tinha medo da própria escuridão.

Autor: Mário Quintana

Cumprimentos

Kátia disse...

Olá Ira!!
Obrigada pelo carinho,viu?
A Rose gostou dos seus comentários.
Quero apenas que as minhas "Personalidades" vejam o quanto são importantes e bonitas, e que de alguma forma fazem a diferença.
Temos que ficar sempre atentos para não acharmos nossa "vida" apenas uma "vidinha". Na correria do dia a dia, muitas vezes não nos damos o devido valor.
Quanto aos seus escritos, amei.
Infelizmente, para muitos, essas pessoas são invisíveis. É um problema social e de saúde pública. São muitas histórias. Desde abandono, vícios,problemas psiquiátricos, etc. Ningúem, com a saúde perfeita, escolhe ter uma vida assim. Para muitas pessoas, por ignorância mesmo, acham que esses seres humanos, estão na rua porque querem. Por isso, levo muito a sério as eleições'. Um bom governante faz a diferença.
Um ótimo fim de semana!
Beijos querida.

O Druída disse...

Menina Ira,

Terça-Feira eu estava me sentindo como essa sua sensivel poesia, me senti na targeta, senti a alma em farrapos e porque não, um mediocre. Me olhei no espelho, não falei com Deus, falei comigo mesmo e minha outra metade geminiana apontou um homem notável que sou e o amigo leal. Gosto de ficar aqui no seu blog, sua poesia e suas palavras me faz reflerir e fico grato por belos ensinamentos.

Bjus

Rodrigo Passos disse...

amei o gosto de suas palavras. lindo texto!!!

Saozita disse...

Olá Ira, lindo esse seu poema! Adorei! Neste mundo materialista e descaracterizado, quem se importa, com o sofrimento dos outros? Cada vez mais olhamos para o nosso umbigo.
Gostaria de publicar este teu poema num dos blogues que participo,claro com os devidos créditos, verias algum inconveniente?

Tem um bom fim de semana.

Beijinhos

Sãozita

Fred Caju disse...

Necessariamente forte. Parabéns, adorei seu espaço.

Fred Caju disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
O Druída disse...

Oieee, Ira.

Não sei onde eu estava com a mente, que digitei "targeta"..rsrs Eu queria dizer é "Sarjeta"...Eita nóis sô..rsrs

Juliana Carla disse...

Ira,

Há quem diga: “Eu me importo!”. Daí você pergunta: “E o que faz por eles?”. A resposta pode vir em forma de silêncio ou em um sonoro “nada”.

Bjuxxx e xerooo

Jorge Pimenta disse...

há sempre um homem... há sempre quem não saiba ver...
um beijinho!