INSPIRAÇÕES DO POETA

4 de out de 2010

Essa é pra você, Lili!




Eu quero a sorte de um amor tranqüilo, com sabor de fruta mordida...

Algumas coisas não batem bem e eu estou Joana D’arc, com ideais carbonizados. Sinto saudade de sentir saudade.
Estou dark, rockers e, principalmente, muito punk.
E quando fico meio aberração, a primeira providência a fazer é mudar o dial.
Cazuza sem gelo! Mais uma dose, por favor.

A noite fria faz meus ossos gritarem por um verão em Ipanema.
Preciso, urgentemente, de uma caminhada solta no Leblon, depois subir a Niemayer, até o Sétimo Céu e lá do alto gritar: To afim!

Afim do amor, do tempo da amizade, onde olhares atestam parcerias autênticas.
Um tempo de levar a vida sem tempo, no balanço das ancas e no deleite do olhar.
Subitamente, o coração ritmou e sorriu, uma voz familiar entrou na orelha cuicando a risada. É Lili me convocando pra folia. Folia que a gente fazia naquela Copacabana.

A saudade que eu queria chegava contente.
Essa é pra você, Lili!

Que foi morar distante, longe dos nossos segredos, dos nossos medos, da nossa pouca idade.
Longe dessa província chamada Bairro Peixoto, onde preservávamos nossos afetos e a vida andava de havaianas, tal e qual a gente queria. Era a nossa crença.
Fazíamos da veterinária do Marcelo nosso front. Lá combinávamos estratégias e traçávamos planos suspirando afãs femininos. Forjávamos príncipes eternos!
Essa saudade é pra você, Lili!
Que não encontro mais nos bares dividindo cerveja e fé.
Que não toca mais a campainha, duas vezes e para e mais duas vezes e para, o cúmplice código oculto!
Que não mais ajuda a empurrar o Lord, meu Fiat 147 verde abacate, que nunca bebia demais, o contrário da gente.
Que não mais dança engraçado, nas nossas madrugadas pagãs, ao ritmo frenético da pista do Mariozim.
Que não mais, me faz entender a fragilidade do viver exibindo sua tragédia.
Que não mais se envergonha das chagas tatuadas por todo o corpo
Que não mais amaldiçoa o amor (único), que lhe sentenciou a pena máxima, sem pena.
Que não mais se desespera em fúria e indignação.
Que não mais beija a filha antes de dormir.
Que não mais acalenta, na suavidade da fronha, suas aspirações.
Que não mais luta, corajosamente, por um pouco de vida.
Que não mais sorriso nem pranto.
Que não mais diz: To feliz igual pinto no lixo!

Essa saudade é pra você, Lili! Que foi morar longe, muito longe daqui.
E se de uma forma abstrata qualquer, você puder me ouvir. Saiba que ainda estamos por aí, no tempo da amizade.
Eu e você, minha amiga de sempre, Lili.


Lili morreu aos 27 anos. HIV positivo. Contraído fazendo sexo com o marido, o príncipe que ela forjou. Começou a namorá-lo aos 16 anos.
Morreu de amor!

25 comentários:

Franck disse...

Nossa...esse texto foi um soco no peito, coração, alma e num lugar muito profundo que é perder amigos...
Mas não quero misturar minha dor com a sua, com a perda da sua Lili, de um tempo bom daqueles que não sabemos se éramos felizes...
Uma boa semana e que Lili a ouça, com certeza ouviu!
Bjs*

Machado de Carlos disse...

Tenho uma amiga soropositiva. Quando descobriu o HIV entrou em pânico. Ficou triste. Depressiva. Depois resolveu dar a volta por cima. No Orkut criou comunidades contra o preconceito. Eu disse-lhe: — Para ser feliz ninguém precisa saber que você é Soropositivo. Quando praticar o sexo, faça de conta que o outro está doente e não você. Ela me ouviu. Conseguiu um namorado; hoje estão casados. Ele já sabe e a aceitou.
Com os novos medicamentos, usados nas doses certas, o HIV fica alojado e não se multiplica. Em suma, a pessoa tem possibilidade de viver normalmente e a chance de transmitir o vírus é quase zero.
Hoje ela está com 31 anos.
Um Grande Abraço!

Lila disse...

Qdo eu falo que vc é a Loirona mais Lilás desse mundo, vc gargalha...e agora me fez chorar de saudade, de dor, de amor, de esperança, desesperança, cumplicidade, amizade...de todos os sentimentos bons e ruins juntos, me fez chorar inteira e plena.
Cara, vc é foda !!!!
Tchamu tu.

Bjs

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amiga! bela homenagem que prestas à tua amiga. É realmente lamentável que ela tenha viajado e, principalmente, o motivo que lhe fez viajar. Que DEUS lhe abençoe e ilumine toda sua trajetória.

Beijos e ótima semana pra ti.

Furtado.

Márcio Kindermann disse...

Cara que foda?! Soco no estomogo, saudade que grita, sangra e sorri.
Cumplicidade....vida.
Bj meu
mk

Lua Nova disse...

Um texto linnnnnndo e um final de arrepiar! Caraca, amiga, que exxxxpetáculo. É de doer tudo por dentro e chega a dar remorso porque me diverti com o texto até chegar no final. Essa coisa de marido contaminar a mulher, aconteceu e ainda acontece muito mais do que jamais deveria acontecer. É muito pior do que quando o príncipe vira sapo: agora ele vira virus e mata! Por isso AME-SE E USE CAMISINHA!
Não há escolha, loira, senão ficar apaixonada por vc e por essa sua sensibilidade atordoante. Prefiro ler vc do que comer uma barra de chocolate! Acho que é o maior elogio que já fiz a alguém... rsrrs
Beijokas.

Jorge Pimenta disse...

ufa!...
a eternidade constrói-se na finitude da vida, desta vida. com a amizade, por exemplo.
um abraço, ira querida!

Érica disse...

seu texto me emocionou! quem foi que disse que amizade não é chegada no amor, nunca teve amigos, nunca amou... e nem sentiu a dor de perdê-lo.

Mas uma coisa me encanta,a Lili VIVEU!

bjãO

Lily disse...

Lili ainda vive. Onde quer que esteja, sabe de você. O amor é para sempre, se acabou é porque não era amor. Amor não acaba, se renova.

A sua perda me doeu. Perder uma amiga tão nova, tão cúmplice!

Ai, vida, vida, às vezes, dá desânimo. Dá vontade de sentar num canto qualquer e nada fazer, nada pensar, nem sentir.

Sinto por você, pois felizes os que vão.

Abraço apertado!

Thais Allana disse...

Foi emocionante, toda vida até a sua morte é emocionante.
Perdio o folego e me revelei sensivel.
Fiquei meio sem palavras... mas eu quero dizer que me encantei com o seu cantinho.
estou seguindo para não me perder.
Beijinhos

Carolina disse...

Oi cara Ira, é uma homenagem comovente ao seu querida amiga de juventude ... Muitas memórias, muitos sonhos foram infelizmente truncado, as praias, o verão, os príncipes ... Ha! Acho que alguns príncipes manchar e apagar os sonhos de jovens cheias de vida! Sinto muito.
Un abrazo.

Saozita disse...

Olá estimada amiga Ira, esta é uma linda homenagem a sua amiga Lili, triste no desenlace, mas linda pelo sentimento que ficou, a saudade só se manifesta por alguém que nos é deveras muito querido.

"(...)Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.(...)"

Saint-Exupéry ( Acaso)

Tem uma bela e feliz noite.

Bjs

Sãozita

Ana Agarriberri disse...

Que bela homenagem, tenha certeza que ela sente todo sentimento que emana de ti, e se alegra da tua lembrança. Lindo post. Beeejo,beeejo. :)

| A.Luiz.D | disse...

A vida nem sempre nos
presenteia, mas creio
em pessoas iluminadas que,
estão ou deixam este mundo por alguma razão, missão cumprida.
Morreu de amor, vencedora...

bjos

CANELAFINA disse...

Amigo e, a vida os leva. Serão eternamente amigos em nossos corações. Vão para longe mas ficam dentro do peito a pulsar para sempre. Linda homenagem, um abraço do gaucho, Eduardo

Marcio Nicolau disse...

"Senhoras e senhores, trago boas novas: eu vi a cara da morte e ela estava viva, VIVA!" Teu texto é um soco e eu respondo com tiros de vamos pra vida, Ira.

Se me permite, gostaria de lhe fazer uma pergunta (sou detalhista, e espero que não se importe, é coisa de virginiano, rs): o que significa a imagem aqui ao lado junto a frase do Fernando Pessoa?

Depois, se puder, me diz.

Um beijo.

Lectores Inquietos Poemas 웃ღ웃 disse...

Hola amiga vi los destellos de una
luz de inpiracion y entre a conocer tu bello blog para pasar
momentos muy apreciados encantado
de conocerte fue todo un placer...

Que tengas un feliz dia...

Amor feito Poesia disse...

De esquecer que um dia eu tive dor e agonia!

Perpetuando sempre esse amor na mente!...

Betânia Uchôa


Saudações Poéticas! Beijos no coração!!M@ria

Phivos Nicolaides disse...

Ola querida amiga Ira. Linda Homenagem, à amizade. Eu acredito na amizade também. Um abraço, Felipe Travelling

João Lenjob disse...

Muito interessante seu blog!! Aguardo sua visita no meu, http://lenjob.blogspot.com uma vez que o atualizo todos os dias e sempre com cinco novos poemas meus.

João Lenjob

Te Esquecer
João Lenjob

Foi tentando te esquecer
Que de mim te escorraçou
Fiz-te mal e eras de bem
Mas mesmo de bem, fizeste mal
Com o corpo e alma que te dei
Com o amor que ofereci
E até com o que eu não fiz.

Foi tentando te esquecer
Que construi-te bem melhor
Fiz-te o amor que não fizeste
Dando-me o que nunca existiu
E sonhando acontecer
O sonho que nunca foi meu
De não ter que te esquecer.

Aline Pati disse...

Uma grande lição, na homenagem. Certamente a Lili deve estar em paz, essa tua bela lembrança vem provar que a amizade é imortal.

Abraços :)

Marcelo R. Rezende disse...

Lili era linda, pelo jeito.
Pena ter sido ceifada de si mesmo, pelo próprio amor, morrer de amor matado. Estranho.
Mas é assim, cada qual com sua biografia, seja ela linda, insossa ou trágica.

Ira, minha diva, tô afastadinho daqui, mas sempre que puder venho te ler, te beber um pouquinho.
Beijo.

Saulo Taveira disse...

Menina, que homenagem. Lili vive. Parabéns pelo texto, tua escrita é dilacerante.

Beijos.

Rob Novak disse...

Texto escrito com sinceridade, saudades e grande dose se amor.

Tenho um caso parecido em minha família. Morrer pelo amor que se sente deve ser o pior tipo de traição possível.

E obrigado pelas visitas em meu blog e comentários. Gosto quando se manifestam sobre o que escrevo e, principalmente, quando gostam.

Bjos

Sil.. disse...

Ira,

Lili não morreu.
Ela ficou encantada!!!

Não tá vendo aquela estrela linda lá no céu?

É ela, é ela!!!

Quem morre de amor, não morre.
Acredite.

E saio daqui com lágrimas nos olhos.

Te abraço forte!