INSPIRAÇÕES DO POETA

12 de nov de 2010

Pirataria




Morei sempre perto do mar e, hoje, isso me faz falta, como se fosse mutilação de qualquer órgão, mas quando diante da sua fotografia, eu vejo em seus olhos, os meus, as velas coloridas dos catamarãs velozes sonhando com oceanos, me desdobro em sustos.
Lembro-me que tinha, antes, dois cascos e estabilidade pra navegar além da calmaria e fui. Quantos mergulhos! Quantos naufrágios!

As tormentas avariaram a primeira carcaça, as águas escassearam, enquanto a vida aterrava os sonhos, mas ainda me atrevo, vez ou outra, ao afastamento da costa e encosto a vela no céu, quando o sol me sorri.
O fato é que gosto de gostar do mar que há em seu olhar, o mesmo que atravessei.

Não se preocupe com meu veneno, ele é antigo e quase não mata. Eu não preciso de você, apenas me debruço na sua inquietude, mas compreenda que minha imaginação é tomada de paixão e me convida pra dançar, eu estendo a mão sem temor, a do coração, me viro do avesso, onde sou mais jovem e rodopio sem ilusão, até a fronteira do meu deserto.
Meu intento não é assaltá-lo, mas ainda guardo a velha boa alma pirata.

Não baby, eu não pensei naquelas coisas de meninas, que são ordinárias e duram quatro beijos. Quero beijos com solicitações de boca que quer segredos sórdidos.
Na verdade quero contaminação de pulsos, sem relógios, desses que a gente se perde no tempo, sem defesas imunológicas.
O sangue mistura-se no pecado, os dois adoecem de provocação, e há um desejo, sem culpa, de transpor a realidade, até a cura.

Você me tira uns quinze anos, de cicatrizes, eu te ensino a gostar sem exigências e a gente comemora, no bar do velho safado, esse duo de poesia e vertigem sensorial, com palavras e vinho de sangue. Desenhamos signos nas mãos. Conversas de proa, sal na ponta das línguas e ardências nas peles, sob o cínico sol de janeiro. Brindamos a esse eterno verão tropical, seu e meu!

16 comentários:

Edson disse...

Lindas palavras como o balançar do mar revolto em pé no tombadilho de uma embarcação.Versos que me tomaram de assalto como os piratas fazem aos forasteiros.
parabéns!

Lily disse...

IRA,

Belíssima imagem, sofrido azul do mar.

Um amor de menino, um menino de amor, uma dor em cicatrizes, cicatrizes em almas velhas...em corpo novo, rejuvenescido pelas águas salgadas e mornas do mar, por esta terra tropical.

P.S.: morro de saudades das chuvas tropicais. Sinto-me trincando de seca.

Beijos.

Franck disse...

Não viveria longe do mar, com esse céu azul, com essa brisa... Esse verão tropical na alma, no coração e na pele...
Bjs*

Poeta del Cielo disse...

o mar e lindo reflexa muito o que o tempo nos da de lembrancas y toca el alma de sentir o chero do mar y evoca o sentir vivido...

saludos
linda semana
abracos

Rodrigo Passos disse...

(O sangue mistura-se no pecado, os dois adoecem de provocação, e há um desejo, sem culpa, de transpor a realidade, até a cura.) lindo!

Jorge Pimenta disse...

ira,
só mesma na (tua) poesia o mar pode simultaneamente ser a viagem e o naufrágio, a língua e a saliva, o vento e a tempestade. oh, que viagens, estas...
digo-to sem rodeios: haverá quem melhor que tu toque cada poro da existência com a sua escrita?
termino com um sublinhado que me marcou especialmente: "Na verdade quero contaminação de pulsos, sem relógios, desses que a gente se perde no tempo, sem defesas imunológicas."
um beijinho com lábios de sal!

Rob Novak disse...

Um dia ainda hei de morar à beira do mar...

Bjs

Phivos Nicolaides disse...

"Eu te ensino a gostar sem exigências". Isso é muito interessante e importante na vida. Bom fim de semana! Beijinhos

Fred Caju disse...

Gostei muito (e mais uma vez) de navegar nos seus escritos. Espero que estejas bem. Tenha um ótimo final de semana.

Marcelo R. Rezende disse...

Eu gosto do seu mar revolto, Ira.

| A.Luiz.D | disse...

Vc Conseguiu domar esse pirata
beberrão?..Foi a fundo, sem apelo,
apenas encostou tuas pernas
engenhosas no ritmo das ondas.
Assim se vai, tanto tempo, o vento
te leva, e permaneço assim, breve
e cavalheiro, nas ruas esperando
a primeiro taça de vinho.

bjos___como eu gosto))
tú eres mi alivio

Kátia Nascimento disse...

Declaração linda amiga!!
Você é ma-ra-vi-lho-sa!!
Beijooos e um ótimo feriado!!

Analuz disse...

Belíssimo teu canto, colega aquariana...

Tive oportunidade de ler teus comentários em alguns blogs que visito... Quando a curiosidade é despertada, eu clico no nome e confiro...
Me senti à vontade aqui...

Te sigo!

Abraço iluminado!

CANELAFINA disse...

Lindo este texto como o mar. O mar que me acompanha nas madrugadas domingueiras quando em sua companhia , das gaivotas, do nascer do sol, do vento, da areia, de minhas longas passadas me ponho a rezar. Um abraço. Eduardo

Carolina disse...

Oi Ira!
Hermosa revisão para um marinheiro. Eu amo isso.
Parabens por el nuevo selinho, waww!
Un abrazo. :D

Sil.. disse...

Minha flor,

Eu vivo perto do mar, não trocaria mais essa vida.
Mas as vezes nem vou ver o mar...mas sinto o quanto o mar esta dentro de mim!

Beijoooooooooo!