INSPIRAÇÕES DO POETA

6 de nov de 2010

A Voz Muda




Estou em silêncio!
No silêncio fecundo,
Da voz de Deus.
Temo a mão do mundo,
Diante dos sofrimentos meus.

15 comentários:

Gringo disse...

Fascinating blog Ira, thank you also for following my blog!

AC disse...

Mergulhar em nós, uma espécie de obras de manutenção do nosso edifício interior...
Ira, gosto sempre!

Beijo :)

Franck disse...

Ouvi seu silêncio e compactuo com ele...
Um sábado de silêncio e muita paz!
Bjs*

Fulvio Ribeiro disse...

Olá...
Como é bom estar aqui, o tempo passa bem devagar.
ótimo fim de semana Ira.
Grande Abraço.

Rob Novak disse...

Bonitos versos! Em certos momentos, silenciar é necessário a fim de evitar uma explosão de palavras e atos.

Bjs

Mateus Luciano disse...

eu temo a mente do mundo
perversa


saudações!

Fred Caju disse...

A voz alterna ou cala?
Bom final de semana, querida!

Lily disse...

A mudez salva-nos até de nós mesmos!

Belo poema!

Beijos.

Marcos de Sousa disse...

Belos versos. Combinaram perfeitamente com a imagem.

Beijos

Marcelo R. Rezende disse...

Medo. Dói. Necessário. Nasce.

Juliana Carla disse...

Olá!

Tem um desafio mágico e encantador (seguido de um selinho) para você no BRAILLE DA ALMA. Espero-te lá.

Bjuxxx e xerooo

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Acima de tudo a imagem do layout é bem escolhido ... GOSTO

Rafaela Bento disse...

ainda tento lida com o meu medo do mundo...

Antonio José Rodrigues disse...

Estamos mudos. A potisa calou-se, o mundo parou, como diz o poeta. Use, Ira, uma das mãos do mundo para levantar-se, pois nem todas são traiçoeiras. Nese momento, não finja, segure e vá!! Beijos

SANDRA disse...

Ira,

Que lindo....
Versos que tocam o coração...

Beijinhossssssss