INSPIRAÇÕES DO POETA

8 de jan de 2011

Noite Suja




Havia uma noite perdida, como calabouço frio.
- Um rosto inexato no ato do abandono -
Havia um pranto velado, como quem abafa o grito.
- A mão do carrasco que feri ferido -
Havia uma fúria marítima no desembarque de um breve capitão,
Com a sede dos mares e pés de carvão...
Apossou-se de mim.
Envergonhou-me assim.
Sem ousar gestos conscientes aceitei na pele seu beijo áspero.
Tomou-me como um bêbado frenético, um marinheiro de braços fétidos.
Vomitou sobre meu ventre orvalhado às noites, os dias, o rum refugado.
Do fel grudado nos pêlos provou. Saciou pecados!
Não viera desvendar segredos; explorar desejos; dizimar medos.
Não quisera descobrir mares e terras; levantar bandeiras; enfrentar guerras.
Assim como veio, sorrateiro e voraz,
Partiu na madrugada suja e lilás.
Deixando no canto do quarto um lastro,
O cheiro de maresia, minha vida vazia e um cinzeiro de alabastro.

33 comentários:

Poeta del Cielo disse...

Cada letra en comunion falan forte de ese sentir que aborda o mundo de un sentimientoo incerto..pero que acontece mesmo nao desejando seja asim.... belo poema

Não quisera descobrir mares e terras; levantar bandeiras; enfrentar guerras.

belo poema Querida amiga Ira...

linda semana
abracos
otimo final de semana

Brasil Desnudo disse...

Olá, minha Linda Poeta Ira!!

Mas que papo é aquele de que você não está mais disponível para o Amor, de ser amada, ou blá blá blá...

Quem você pensas que és, Poeta, Observadora, Mulher sagaz, Uma Fúria com palavras que toma o coração de tantos, mas que se coloca como Nada, diante do seu próprio Amor?

Amar não tem idade, nem rugas, nem pregas, mas sim o que existe dentro de você, pois menina ainda és, e sempre terá Amor esbanjando em seu peito, que bate forte, em cada verso escrito!

Tudo bem que tirou esses dias para o aconchego da filhota, mais do que justo e merecido por ela, mas falar aquela bobagem lá no Desnudo.. Vixê!!

Nem ousa novamente, tá! kkk

Muito boba você, Garota!

Bjs nesse coração ardente de Amor e Paixão, que você sempre esbanja para todos, mas não se esqueça de você, ok?

Com todo carinho

Marcio RJ

maiscores disse...

Texto extremamente perfeito!
Gostei da foto também..
Tudo muito lindo por aqui (como de costume)
Obrigada pelas constantes visitas ao mais cores.. fico muito feliz por você estar sempre por lá! *-*
Que seu final de semana seja bastante colorido!
:*
Beijo

Antonio José Rodrigues disse...

Noite suja, Ira, mas indelével. Noite "suja"? Que bom se todas as minhas noites fossem "sujas", mas com uma marinheira. Pois é, os meus pecados seriam prificados. Beijos tropicais

Fred Caju disse...

Sou fã dos seus "textos noturnos", já falei, né? Beijos enormes!

Marcelo R. Rezende disse...

Adorei,
A-do-rei,
A-DO-REEEEEEEI.

Beijo.

Franck disse...

'partiu na madrugada suja e lilás'... quem sabe numa outra madrugada assim não terá retorno?
Bjs*

meus instantes e momentos disse...

gosto de voltar aqui,
inspira !
Maurizio

Jorge Pimenta disse...

não nasci junto ao mar, embora o deseje tal como desejo a mulher que me habita. deixei, todavia, de acreditar naqueles que nidificam sobre as águas e apenas chegam a terra para anunciar a saudade. quem tem pés de mar não sabe criar raízes. e o regresso é palavra que ainda não sabem soletrar.
no seguinte, acabam por ficar apenas as garrafas vazias e aquele cheiro a maresia que engana os sentidos e sal... já sem água.
beijinho, querida ira!

Phivos Nicolaides disse...

Linda foto. Belo doce, palavras suaves para a alma.

Assis Freitas disse...

ciranda de tonto e tanto amor, o que soçobrou


beijo

Lua Nova disse...

Quantas noites foram para mim assim, "uma noite perdida, como calabouço frio."
A ânsia de viver a vida e encontrar o amor está sempre intacta, subcutânea, pronta para romper-se rubra e crua, forte e ardente.
Mas, muitas vezes, apesar da beleza do sonho, da realidade colhemos apenas tristeza, desilusão cansada, relações vazias e amores forjados no medo.
Pra não variar, Ira, um poema avassalador, intenso como são os teus sentimentos e tua alma.
Beijokas, mulher, te gosto muito.

Ana Agarriberri disse...

Ira, impossível não ler e reler tuas palavras. De coração, é sempre um prazer te ler. Com certeza esse teu espaço é um dos meus maiores achados nesse tempo de blogosfera. Parabéns por mais um belíssimo poema. Beejo,beejo. Tenha um ótimo domingo. =)

Rob Novak disse...

São noites sujas que limpam a consciência de vontades insaciadas.
Bjo

Daniel disse...

Quantas palavras deliciosas de se ler! Perspicacissima amiga, você tem o dom da escrita e mais, consegue realmente deslumbrar aqueles que a leem! adorei passar por aqui hoje, mas também, me vi entre a bruma...entre toda essa maresia. Muitas pessoas fazem isso, e acham, que não deixam marcas...bom, daria um outro verso, uma outra poesia, um outro redondilho. Fico aqui hoje, desejando sem bem estar, e enviando-te força para continuar a ser essa nobre pessoa que és.

Dan

AC disse...

Ira,
A sua escrita percorre, emancipada, por vielas onde poucos ousam entrar, enfrenta a sombra olhos nos olhos e, de tão intensa, é capaz de dar um pontapé num copo vazio...
É um enorme prazer lê-la, minha amiga!

Beijo :)

António Rosa disse...

Belo poema, Ira, quase a querer libertar-se daquele calabouço frio. Essa imagem fez-me lembrar histórias da guerra colonial. Abraço.

Brasil Desnudo disse...

Oi minha linda, Ira!!

Passando pra te desejar um ótimo começo de semana, ao lado de sua gatinha, cheio de muita paz, harmonia e amor no coração...

Com todo carinho

Marcio RJ

Fulvio Ribeiro disse...

Olá minha Amiga..
Ira, publiquei seu poema la no meu blog...Tomei a liberdade de colocar um titulo (desculpe rs)...
Grande Abraço.

RITA DE CÁSSIA disse...

PROFUNDO E INTENSO, VC ARREBENTA NAS PALAVRAS HEIN MOÇA!
BJOCAS!

Érica disse...

How Ira! Como é que tu faz isso coma gnt? Não tem medo de causar parada cardíaca em algum coração fraco, não? rsrsr
Cê sabe que não desprezo as noites sujas... são elas que se tornam inesquecíveis, talvez seja até por acontecerem inexplicavelmente e acabarem bruscamente... vai saber! eu não sei e pretendo não saber... de saber, as noites "limpas" estão cheias.

bjãO

Kátia Nascimento disse...

Olá querida!!
Vc é cantora também?
Linda, poeta e cantora...
Não tem pra ninguém...
beijos lindonaaa!!

Carol disse...

Vida vazia e cheia, né? Beijo grande!

Márcio Kindermann disse...

Cara, que grito. Adoro o jeito que vc aborda esses sentimentos de fundo de poço.
Amo tu
Bj meu

Iram M. disse...

Como assim? Vi uma foto a esquerda do blog é vc com sua neta?
Não pode ser. Vc não tem como ser ainda. Desculpe amiga, acho que me enganei.

É melhor te mandar um beijo do que pensar alto.

Um beijo

Angelo Augusto Paula do Nascimento disse...

Ah... todos nós e nossos deliciosos pecados!
bjs

NGC disse...

Muito bom blog. Lindo poemas

Antonio José Rodrigues disse...

Realmente, Ira, a poetisa tem muitas faces. Belíssímas fotos...São expressivas como os seus poemas. Beijos

Athila Goyaz disse...

Interessante... mas será que valeu a pena? hehehe
abração!

Marcio Nicolau disse...

Ira, minha linda

Deixei uma resposta pra vc no blogue do Antonio Rosa.

Tobias Silser disse...

Olá, quanto tempo..
Andei meio que jogado no acaso e depois de tanto tempo estou retornando para o mundo de onde nunca saí.
Não poderia deixar de passar aqui para ler vc. Palavras incríveis.. Linhas que me fazem ver o teu caminho.

Bj.. excelente semana!

ϟ ƒααвy ϟ disse...

Oiie, estou seguindo, me segue tambeem?
http://bloggerfaby.blogspot.com/
Obg *--*

Wolber Campos disse...

Olá Ira! Tudo bem?

Que belo texto! É ótimo entrar no que você escreve e viajar por estes mares. Dá para sentir até o cheiro da maresia. :)

Beijo!