INSPIRAÇÕES DO POETA

9 de fev de 2011

A Dor do Amor Demais




Quer meus passos saber, não procure nas noites insones,
Onde bebo o fel desses homens derramado nos leitos.
Eles que são medonhos, eu que tenho dez nomes,
Tenho pena de suas fomes e dou-lhes algum respeito.

Quer meus passos saber, não procure nos bares lotados,
Onde acendo cigarro e pecado tragados de dores
Eu que sou desalento, eles que são sagrados.
Tenho gosto de suas botas e dou-lhes alguns pudores.

Arrisquei os dias por poucas horas de noites,
Só pra te esperar pra nunca tua
Cada feito meu, teu defeito, meu açoite.
Só pra te esperar pra sempre nua.

Quer meus passos saber, não procure no meu desatino,
Onde chamo tua boca em outras e salivo ilusões.
Eu que sou tão cansaço, ele que é destino.
Tenho dó desse nó de amor e dou-lhe suas traições.

Quer meus passos saber, não procure no fundo de mim,
Por que jamais saí de dentro de você

25 comentários:

R.B.Côvo disse...

Muito bom o poema. Um abraço.

Iram M. disse...

Alguns dos seus passos eu ja sei, minha poeta.

Nesse, vc arrebentou!

"Quer meus passos saber, não procure no fundo de mim,
Porque jamais sai de dentro de vc."

Vc é demais!

Beijos

Anne Lieri disse...

Que poesia comovente e apaixonada!Por que ele procura tanto,se vc já está sempre nele?Muito lindo poetar!Bjs,

Polish Twins disse...

Lovely poema .. pena que não sei Português, mas é lindo blog;))

Daniel disse...

Suas poesias cada vez mais despertam em mim emoções conflituosas comigo mesmo. Pois é, "quer meus passos saber, não procure no fundo de mim, por que jamais saí de dentro de você" acho que essa parte é a que mais reflete meu estado de espirito. Ótimas palavras, elas são extremamente úteis e valorosas para a poesia brasileira contemporânea.

Dan

Athila Goyaz disse...

Por onde andas Ira? hehe
Aproveitando pra dar os parabéns atrasadíssimo, felicidades, poeta certeira!

Rui Sousa disse...

fiquei estarresido
com tal poema
um dia talvez, por quem não sei
estarei ao pes
de quem quiser um momento vivido

carmen silvia presotto disse...

Queres meus passos saber além de estribilho ao meus olhos, virou pegadas em minha escuta...
quantas vezes procuramos no outro o que não temos em nós? quantos amores partidos sem ao menos escutar as pegadas? Quantas portas fechadas por não nos descobrirem neles?

Ira, te ler já é um vício, e dos bons.


Beijos.

Érica disse...

Que meus passos, insones ou não sempre voltem aqui.
Infelizmente, e digo infelizmente, do fundo do coração, nunca sofri de amor, já senti dor sim, mas poroutras coisas, daquelas insolúveis pelas quais sofre a maioria das pessoas (in)decentes, pois sofrer por causas, pelas pessoas, precisa ter coragem e uma coragem desconcertantemente indecente.

viajei aqui... rs

Ira, vc é demais!
bjO

Antonio José Rodrigues disse...

Quem será, então, meu deus que estará fazendo, sorrateiramente, rastros dentro de mim? Quem? Beijos poetisa

ღPat.ღ disse...

Intenso!

Chegar em um estado assim de Amor demais, amiga, eu já cheguei um dia!

Obrigada por teus carinhos, adoro.. beijos meus.

Phivos Nicolaides disse...

É melhor você assistir os seus passos querida amiga Ira...

Sandra disse...

Gostei muito do seu blog. Vou seguir.
Bj

helio.rocca disse...

Um belíssimo e exuberante poema. Rico na linguagem e traçado a fino fio por uma tecelã divina. Estou literalmente, pasmo. Parabéns amiga!

Marcelo R. Rezende disse...

Amor demais, Ira, tou vivendo isso, é lindo, é gostoso, é desse jeito, é louco.
AMEI.


Beijo.

Jasanf disse...

Eu amo ler teus poemas pelo conteúdo presente neles, pelo vocabulário rico e erudito, a busca da valorização do neoclássico com a liberdade de expressão oriunda do movimento modernista do século passado. Brilhante! Bjs.

Ana Agarriberri disse...

Quanta saudade daqui Ira! Voltar ao Molhe-se depois desse tempo todo longe e te encontrar por lá foi muito bom. Obrigada pela presença. Beejo,beejo. =)

Poeta del Cielo disse...

Hermoso poema puro sentimiento mi querida amiga Ira...

saludos
linda semana
abracos

Long Haired Lady disse...

que lindooooooooooo
amei, identificação total!

Wolber Campos disse...

Ola Ira! Tudo bem?

Que lindo texto! E como é difícil amar demais, não é?

Sou adepto de entrar de corpo e alma em um relacionamento, de doar, dizer tudo o que sentir vontade. Mas quando o amor é demais e não retribuído da mesma forma, nos leva a esses lugares que você tão bem descreveu.

Beijo!

Edson disse...

Olá Ira,
Gosto de seus poemas, pois o abstrato de um sentimento, cria um corpo em nossas mentes e isso nos faz viajar através de suas palavras bem estruturadas.Muito bom!
Beijos.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga,
e os passos de algodão, aqueles que nos percorrem baixinho, ou, na desatenção, com silêncio adornado por mapas de pele onde se erguem, quase exibicionistas, linhas de tesouro que ninguém ousa procurar? serão esses os de que ninguém quer saber?
a tua poesia arranca-nos os pés, os passos e o caminho, doce amiga!
beijos!

♪ Sil disse...

Será que eu já fiquei perpetuada dentro de alguém?
Mas alguem, sempre fica perpetuado em mim.


Perfeitooooooooooo, Ira.


Um beijooo

AC disse...

Aplaudo esse olhar, essa sensação forjada na mediocridade alheia. Mas, em simultâneo, o meu olhar detém-se na mulher que continua a porfiar a naturalidade do dar e receber...

Beijo :)

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Gosto da tua poesia ...


Beijinho