INSPIRAÇÕES DO POETA

11 de fev de 2011

Tédio




Escreva-me uma certeza que blasfemarei até o inferno com os dedos apontados a tua bunda.
Ousas coroar-te com vestes imperiais, pobre mendigo de ti mesmo, que há tempos o veludo foi corroído por ratos albinos.
O diabo repugna o teu sexo até o escroto e nem ele ejacula tanta sordidez
A tua espécie prolifera e mija sobre os nomes vazios de gente, estes contaminados, que prostrados sufocam-se.
Ah, que teu crânio escuro seja devorado por famintas aves negras e que de ti não sobre qualquer pensamento!
Cavarei a terra e enterrarei teu relógio agarrado ao pulso, com os tic-tac das horas, a sentir todo o pecado no sangue.
Dirás no último afã: E meu espírito?
Este é pesadelo dos vivos e não meu!

33 comentários:

Jasanf disse...

"Dirás no último afã: E meu espírito? Este é pesadelo dos vivos e não meu!" Brilhante a sua ousadia em letras. Gostei do final.

Rui Sousa disse...

Te escreverei com toda a delicadesa num paraiso e com o punho encostado ao teu coração
oudas despir-te a minha frente sem pedir, ousas abusar do meu consiente como quem pede que te consuma a alma
Deus criou o teu desejo e ate quem tu crias.
Dirás no último afã: E meu espírito?
Este é pesadelo dos vivos e não meu!

A.S. disse...

Ira,

Eu adoro poemas intensos! Este teu poema é fascinante, provoca todas as emoções, todos os sentidos e deixa transparecer uma revolta surda que abala todas as estruturas!!!


Beijos, querida!
AL

POESIAS EM FOCO disse...

Um belo e criativo texto, parabéns sempre, estaremos sempre por aqqui.

R.B.Côvo disse...

Gostei especialmente do final. Intenso e revoltado o poema. Um abraço.

Edson disse...

Grande Ira,
isso que eu chamo de um desgosto com classe.Você manifesta de várias maneiras esta Ira (a letra maiúscula é de propósito)incontrolável, mas com as palavras corretas. O choque é maior.
Muito bom!
Beijos.

Érica disse...

Ira, querida!

passando rapidinhinho, para te desejar um ótimo fim de semana!

super bjão

♪ Sil disse...

Ira, minha linda!

Que pesadelo.
Dos vivos, não o meu.

Ira, até nas palavras.

Ira, que gira.
Amor, revolta, volta. Fica.

Um beijoooo

Franck disse...

'Escreva-me em letras gdes ou pequenas'...que importa?
Bjs e um bom fim de semana tbém!
PS: Mudou a foto! Muito bom!

Carol disse...

Muito bonito! Pesado, mas quem disse que a vida é leve? rs...
beijos!

MOISÉS POETA disse...

Poema de fogo, aqui tudo ardeu...!

Ira ,esse poema me abduziu !

Um grande beijo !

Iram M. disse...

Um fim de semana acompanhado de um texto da Ira, é como um fim de semana acompanhado de um sol na praia.

Um bom fim de semana pra vc, querida!

Dilmar Gomes disse...

Olá amiga escritora poeta. Excelente texto.
Um grande abraço.

Sonhadora disse...

Minha querida

Passei e adorei tudo o que li...este texto é profundamente intenso, adorei.
tomei a liberdade de seguir, para voltar mais vezes.

Beijinhos
Sonhadora

Machado de Carlos disse...

É sensacional ler você. Você coisas profundas e verdadeiras. Formidável é sentir os seus pensamentos!
Bom fim de semana para você também!
Beijos!...

Poeta del Cielo disse...

Lindo de verdad mi querida amiga.... bellas letras lindas de leer y lindas de sentir...

saludos
lindo final de semana
abrazos de corazon

meus instantes e momentos disse...

forte e denso...
Maurizio

Fred Caju disse...

Quanta força!
Mas confesso que até para mim, que tenho uma série de poemas chamada Um Título Pouco Importa, acabei voando... Mas isso pouco importa!

Abraços,
Caju.

Daniel disse...

Gostei muito do final dos seus versos, exibe uma força incrível,
particular, só tua.

Dan

AC disse...

Ira,
A sua escrita, temperada em virtudes e misérias, tem o condão de me encantar sempre.
Que nunca lhe falte a sede de vida, mulher de mil encantos!

Beijo :)

Assis Freitas disse...

metralhadora giratória,


beijo

carmen silvia presotto disse...

Ira, depois de te ler só me resta ir lá espiar O Corvo de Poe... nossa gostei demais deste realismo sórdido, deste tempo em que nos lemos nus de espírito, sacode, remexe, provoca, assim são teus poemas, uma rebelião de emoções e gosto.

Um beijo e bom final de semana.

I Love Ski Jumping disse...

O blog é muito bonito .. Saudações da Polônia;)) beijos para todos .. Conte-nos sobre a sua visita também **

Antonio José Rodrigues disse...

As aves de rapina, Ira, devorarão o espírito do tédio antes que o tic-tac do relógio nos enterre. Assim seja!! Beijos

Costea disse...

Mais uma vez escrito por você é notória entre.

OTTATTO disse...

seria um prazer oferecer minhas obras par sua poesia... se quiser ve-las em maior nunero, no facebook otavio JM, e suas fotos seriam belas obras de arte! Veja meu link RETRATOS, se desejar, claro!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Que tal uns calmantes? Parece que os nervos estão a flor da pele. Rsrs. Lindo poema amiga.

Beijos e ótimo domingo pra ti.

Furtado.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga,
as palavras fizeram-se para dizer, não para cantar (isso é a voz). e o que diz não é o verbo: é o peito que tem no alfabeto cada linha sensitiva que ora nos aproxima, ora nos afasta, nesta vida bem real, de nós. verdade e mentira são, afinal, duas faces de um mesmo rosto: o nosso. e lá cabe a poesia e o folhetim, o vinho e o sangue, o desejo e o repúdio, a flor e o vómito, a morte com elevação e a morte indigna.
tão t.s. eliot este teu texto, tão apaixonantemente sórdido. como a vida. como a verdadeira (ou a falsa?) poesia!
um beijo de sangue e tinta!

Dave disse...

É seu espírito?

Gostei!

Carolina disse...

Oh! expressão forte, corajoso e sórdidos, a paixão em tudo!
Ira, mi linda, muito interessante, un poema diferente.
Bjs e Feliz Dia de San Valentin! :)

Lily disse...

Venha cá, venha cá, você me provocou, pois agora lhe rogo minhas pragas, meu hálito temperado de todos os meus ódios.

O teu texto inspira!

Beijos.

Suzana/LILY

Analuz disse...

Ao te ler, nada de tédio, Ira sempre brilhante!

Beijinho de Luz e uma eufórica semana!

Fred pill disse...

Lindo! Gostei muito. Se puder visite o meu.