INSPIRAÇÕES DO POETA

25 de fev de 2011

Liturgia




Vinho e silêncio, a celebração de Deus em mim!
Litúrgica em meu altar confesso a essência humana, metades que me cabem.
Carne viciada e castigada que exaspera por escassez
Tomba em tecidos finos vaidade e insensatez.
Alma antiga, sepulcro. Dores da Era Cristã cristalizadas.
Sombra que assombra a solidão crucificada.

Não levantes a pedra que pensas em atirar contra a tristeza,
Ambas são nossas, duras e imortais, até o fim dos tempos!
Deram-nos pensamentos, cálices, que transbordam temores,
Não os afastem! Beba-os com vossos mortos antecessores.
A salvação há de ungir as cabeças humildes e libertárias,
Dos que aceitam suas naturezas insignificantes e contrárias.

É inútil dessecar vida, como quisesse entendê-la, vísceras, lógica,
A doença é nossa, o que obviamente, nos faz seres patológicos.
Batizei minhas neuroses nas águas poéticas, o fio da doce loucura,
A coragem de enfrentar o que sou e que não sei, apenas sinto, a cura.
Desse mistério, apenas escute o amor, invisível e perfeito na voz universal,
Pois felicidade é roupa íntima, só se vê quando se despe o traje imoral.

31 comentários:

POESIAS EM FOCO disse...

Que texto maravilhoso para um final de semana que se inicia, em poetisa? parabéns por essa magia em letra.

Dilmar Gomes disse...

Olá amiga Ira, grande poetisa. Muito bom o teu poema.
Um grande abraço e um bom finds.

Analuz disse...

Ira brilhante...

é inútil entender a vida... gastar o tempo tentando montá-la como se fosse um quebra-cabeça... acredito até que nosso objetivo deva ser justamente o contrário: desconstui-la...

Beijinho de Luz e ótimo final de semana!

Franck disse...

'Vinho e silêncio'... dois bons companheiros...
Bjs*

R.B.Côvo disse...

Sempre escrevendo grandes textos! Abraço.

Antonio José Rodrigues disse...

O que lhe aflinge, poetisa, psicossomaticamente? Preocupa-me o obscurantismo do texto.Beijos

Jasanf disse...

Adoro rituais poéticos e cheio de ação perfomática. Senti-me na verdadeira liturgia de seu poema. Bom final de semana. Bjs. Jasanf.

Phivos Nicolaides disse...

Você é um espírito livre e eu gosto dos seus pensamentos e idéias. Bjs

carmen silvia presotto disse...

"Batizei minhas neuroses nas águas poéticas, o fio da doce loucura,
A coragem de enfrentar o que sou e que não sei, apenas sinto, a cura..."

Ira me batizo contigo e confirmo que felicidade é roupa íntima sim, sensações de viver, conViver...

Um beijo grande e bom final de semana.

Jorge Pimenta disse...

querida amiga ira,
antes de mais, dizer-te como é bom sentir-te de volta. e como?... com um manifesto (atrevo-me) contra as convenções e dogmas (posso?) que, se não anulam o homem, o limitam, arremessando-o contra a esquina do arbítrio (permites-me?), como rato imundo escorraçado da civilização que cospe tudo quanto nos ajuda a definir como homens e mulheres - seja lá isso bom ou mau.
brilhante! ao teu jeito. como sempre nos habituaste.
beijinho!

Qualidade CCLQ Montani disse...

passei, gostei e estou a te seguir, se quiser venha conhecer meu trabalho.
http://valterpoeta.blogspot.com/

Fulvio Ribeiro disse...

Ira...

Como é bom te ler...
Senti suas palavras no fundo da minha alma,( se é que alma tem fundo) o comentar deixo aos mais aptos. Mas senti, e isso, já me basta.
Grande Abraço.

Jose_Kunita disse...

HOLA, BONITA..ESTOU MIRANDO TU BLOG.. INVITO A VOçÉ A QUE ME VISITE EM "VERSOS NEGROS" CREO Q' GOSTARÁ..SIGO MIRANDO..LUEGO TE CUENTO, BELHA
BEIJO..

meus instantes e momentos disse...

...Carne viciada e castigada que exaspera por escassez ...
bonito, consciente, forte e bom de ler.
Maurizio

*

Carolina disse...

Oi Ira linda, você fez um poema intenso, introspectivo e muy profundo...
Bjo, abrazo e bom fim de semana.

Poeta del Cielo disse...

Ira amiga .. como e bom leer suas letras a profundeza que vc poe nelas se senten no fundo do coracao... obrigado por compartilhar tan belas letras .. adoro...

saludos
otimo final de semana
abracos de coracao

obrigado pela sua linda amizade

Mari Amorim disse...

Ira,
um alimento a alma,gostei muito.
Um excelente final de semana,com boas energias,saúde,paz e luz!Obrigada pelo carinho.
bjs,
Mari

Assis Freitas disse...

felicidade é roupa mínima, o mais é encadernação vistosa,


beijo

Eva disse...

Ira, agradecendo a tua visitinha e o aceite da minha amizade atraves do blog, fico muito feliz. Eu também escrevo, meu blog era de escritos mas não obtive o quorum que conquistastes, teus poemas são profundos e espiritualizados, a meu ver, o que acredito ser a nossa essência total, li alguns e concordei com todos, muito belos, muito bem escritos, senti-me bem aqui, por isso fiquei, obrigada pela companhia, grande beijo esse ultimo poema é muiiito belo. Parabéns!

Eva disse...

Oi Ira obrigada pela tua participaçao la no blog, fiquei muito feliz, eu passei por aqui, gostei do que li e fiquei. Parabéns, escreves profundamente bem, nota-se a intensidade de um viver, que procura se abrir para aproveitar o máximo, que lindo né, bjos e até mais.

Pedro Luso de Carvalho disse...

Nesta minha visita, para conhecer um pouco teu belo blog, proveito de desejar-te um bom domingo.

Abraços,
Pedro.

Sandra disse...

Grande texto!
E o final? uma delícia...
Beijo

Úrsula Avner disse...

Oi amiga,

texto profundo, rico, reflexivo como de costume... Bj na alma.

Adilson - Rio de Janeiro - Brazil disse...

belo texto ....como sempre .... abrigado pela visita e gentil comentario ... sou seguidor sim do seu blog com gosto , pq é tudo lindo por aqui ... abraços

Guará Matos disse...

Vida, me leva vida!
Estou indo.
Bjs.

Iram M. disse...

Ai, Ira
Vc, sempre vc. Simplesmente vc pra ter tanta inspiração que nos faz te segui, te ler e reler.
Ai, como é bom! Vc já pensou em publicar seus textos? Vale a pena, heim!

Beijos, querida

Mari Amorim disse...

Excelente semana,boas energias,paz,saúde e luz!
bjs,
Mari

helio.rocca disse...

Traje imoral e também moral que a sociedade nos impõe. Um belo poema, uma crítica bem feita a formatação imposta na sociedade a quem se manifeste contrário...`Parabéns!

Ana Agarriberri disse...

A gente fica sem palavras Ira, toda vez que te lê. Parabéns. Tenha uma linda semana. Beejo,beejo. =)

Lily disse...

"Pois felicidade é roupa íntima, só se vê quando se despe o traje imoral."

Belíssimo!

Senti teu texto, uma oração, oração sincera, coração que sangra, o vinho.

Beijos,

Suzana/LILY

Marcio Nicolau disse...

Olá Ira

Atualizando a leitura aqui no Faces do Poeta, destaco este texto dos três últimos. Gostei muito. E divido com você minha impressão.

Tenho o meu altar, saiba, mas ele é acessível. Assim também me parece ser o teu.

O que pra mim é sagrado se enxerga a olho nu, despido de moralismos e outros ismos.

"Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor."

Isso pra mim sintetiza.

Obrigado pelo interregno em pleno carnaval para visitar o InterTextual. Que bom que identificou com a estética poética apresentada.

Um beijo.