INSPIRAÇÕES DO POETA

21 de abr de 2012

Trilha Nervosa Para Olhos Distantes



Ele é tão bonito que da preguiça,
Uma fraqueza nos ossos,
Só de pensar sua trilha,
Onde meus poucos pés não alcançam
E meu corpo, então,
Apenas se sujeita a boiar por toda imensidão de beleza que há,
Sem que os pensamentos afundem em algazarras.
Carece até emudecer nervos,
Quando respiro a lebre e o verme dos seus versos,
A poesia da boca que vale um beijo.
Beijo-lhe no território de Orfeu!
Para não assustá-lo, jamais escancaro a porta,
Mas deixo-lhe uma fresta óbvia,
Um pecadinho divino,
Uma saudade do que seria se eu me chamasse bruma
E durante a noite o cobrisse de segredos
Ou se me chamasse Maria,
Qualquer uma que o tivesse escondido entre peito e braços.
Deixo-lhe metáforas pelo chão,
Para que jamais se olvide da minha voz,
Que vez ou outra se distrai com realidades,
Mas sempre retorna ao labirinto dos sonhos.
Eu aceito esse turbilhão de inquietações,
Essa quebra de pudor outonal,
Afinal de contas,
Ele é tão bonito e longe que da inspiração.

13 comentários:

AC disse...

Ira,
Às vezes conseguimos conciliar o olhar com a subtileza do agir. Creio que isso é de bom augúrio.

Beijo :)

Fred Caju disse...

Beleza e distância atiçam a imaginação mesmo. Bem legal!

Aproveitando, deixo aqui um vídeo para xs leitorxs do espaço:
http://vimeo.com/40411264

Marcia disse...

Ui,,,coisa boa!!Adoro tu!BJS

Assis Freitas disse...

um tratado das belezas distantes para Bruma ou Maria,



beijo

Marco Rocca disse...

Uma prosa poética de tirar o folego de tão bela amiga. Aplausos efusivos...
Marco Rocca

Marcelo R. Rezende disse...

Sem ar com isso.
Eis o meu favorito dentre todos os gênios que saem de ti em forma de verso. Ira, você é tão linda.

Um beijo e um amor.

Nilson Barcelli disse...

A liberdade é essencial, começamndo pela liberdade de amar.
Belo poema, gostei imenso.
Ira, querida amiga, tem um bom fim de semana.
Beijos.

Cecília Romeu disse...

Soltas-te a tua Ira!
Lindo poema!
E tão lindo o bonito, que ainda com a distância propaga a imaginação... Melhor entregar-se ao acaso, a porta entre-aberta, pequeno sinal de algo, ou seria talvez?
Grande beijo, Ira querida!

Jorge Pimenta disse...

perco-me, perco-me, sim, neste tratado de estrelas e constelações, onde metáforas são atiradas para o chão para o não olvido da voz, onde a poesia da boca anuncia o beijo e onde a porta permanece semi-cerrada para que se saiba entrar mas também sair. ele [o poema] é tão bonito e próximo que dá inspiração.

beijo, minha querida cujos toques de mão agitam as minhas urgências!

Sandra Subtil disse...

Bruma ou Maria, a poesia vive em ti.
Adorei a foto também.
beijinho, minha querida

Joelma B. disse...

a beleza da voz em Ira...

Beijinho encantado com tua intensidade, Ira brilhante!

LauraAlberto disse...

ao longe, de longe
nenhuma visão assim pode ser miragem

beijinho

[os teus escritos deitam fogo]

Cris de Souza disse...

Ira, Ira... esse poema é um espanto! A cada leitura minha admiração cresce pela sua voz.

Outro beijo*