INSPIRAÇÕES DO POETA

24 de jun de 2012

Num Piscar de Pensamento




Cochilo de pensamento.
Eis o instante mudo,
Absolutamente plácido.
Tímpanos calafetados,
Bocas desmaiadas,
Sem voz infiel ou ética,
Nenhum burburinho de demônio nos dedos,
Nada de espanto bíblico no canto dos olhos,
Pés sem arame farpado,
Nenhuma crosta inquieta corre a pele.
Há apenas dois corpos impedidos de vida,
Defuntos caídos de gozo,
Lado a lado,
O pau sem alma,
A buceta túmulo
E sobre eles,
O tempo do mistério faz barulho.

23 comentários:

Joelma B. disse...

zonas amor(...)tecidas!!

adoro te ler!! Que gozo!

:D

Beijinho, Ira brilhante!!

Cecília Romeu disse...

Ira, linda aquariana!
Que poema, menina!

Um jogo que acabou em morte súbita, mas sempre espera prorrogação.

Beijos e ótima semana!

Assis Freitas disse...

túmulo mais possível do mistério de gozosos,



beijo

Sandra Subtil disse...

Ira
que maravilha de poema. Não tem como
comentar. Maravilha.
Beijo

Cris França disse...

a doce liberdade de amar... bjos Ira

Carolina disse...

Ola Ira, gran poema! um prazer ler voce sempre.
Um beijo, feliz inicio de semana.

meus instantes e momentos disse...

Ira Buscacio....

Thiago Castilho disse...

Vc me fascinou e fulminou. Dificil fazer isso. Parabéns.
Um beijo do observador.

Lucia Giordani disse...

Quanta vida descansa nesse poema.

Beijos, Kate!

Lucia Giordani disse...

Kate, quanta vida neste sagrado descanso.

Beijsão,

Mocra

Adriana Aleixo disse...

E eu de cá descanso nesse breve silêncio. Necessário. Beijo!

José María Souza Costa disse...

Nada, como o mistério do Amor, do amar.
Amei a sua escrita. Agradavel, deliciosa de lê-se.
Parabens, e obrigada por ter comentado no meu blogue. gostaria demais de agradecer esse gesto. Pois assim, ajuda, a enobrecer aquele espaço.
Abraços amaranhenssados

LauraAlberto disse...

tu és imensa, tal como a tua poesia

leio e leio-me na tua poesia

e nesse silêncio fica uma vida perdida

beijo, de admiração

LauraAlberto disse...

a foto então? de quem é? adorei...

beijo

dade amorim disse...

Nada mais forte que o gozo verdadeiro.
Poema poderoso, Ira.
Beijo beijo.

Luiza Maciel Nogueira disse...

"o tempo do mistério faz barulho"

e cada verso teu já é um imenso poema poeta :)

beijos (adorei a sua percepção - nos resta mesmo isso e ainda bem que resta)

Érica disse...

Ira...
Lendo esse teu texto dá uma vontade doida de "morrer" sempre, sempre e sempre.
Você é de uma inquietude sensual que assusta! Maravilhooooosa!

Bjo, bjO bjO

LauraAlberto disse...

eu é que tenho de agradecer ao Jorge e a ti...
o que escreves é como se fosse uma continuação de mim, do meu eu que grande parte das vezes escondo

um imenso obrigada

beijo

Nilson Barcelli disse...

"E sobre eles,
O tempo do mistério faz barulho."
Magnífico poema, terminado com mestria.
Excelente.
Beijo, querida amiga.

Marcelo R. Rezende disse...

MARAVILHOSO. Eu parei de respirar pra ler. Parei.

Você.

Cris de Souza disse...

Surpreendente!

Um gozo a vista, li sem piscar os olhos....

Beijo, poeta irada e tão querida.

Jorge Pimenta disse...

a voz a estalar num buraco de sangue enquanto a bandeira se enrola pelo convés abandonado: "o tempo do mistério faz barulho". mas, como despertar os mortos?

quem consegue manter a voz segura depois de te ler? ufa!...

beijos, amiga-inspiraão!

Rob Novak disse...

Perde-se o fôlego completamente nesse piscar depensamento...
Muito bom.
Bjo