INSPIRAÇÕES DO POETA

21 de jul de 2009

HOJE NÃO TEM POESIA

Hoje, eu quero palavras soltas, outras rimas, alguns com-passos. Outros dez-com-passos, pra não caracterizar plágio (são sete). Não pago royalt nem ágio.
Quero abrir o verbo, na terminação ar. Rebucetar, desbundar, viramundar e etc...
Não, nada me peça!
Não vou poupar nem minha re-puta-ação. Nunca fui boazinha, só nas horas vagas e nas de excitação.
No mais, sou o que não presta, não mereço céu nem inferno, o purgatório tem mais a minha cara. Lá, gula é tara.
E eu tenho fome. Quero comer um homem, prazer, sons, amor, mentiras verdadeiras, lágrimas e sorrisos, vida. Quero farofa luso-brasileira.
O que se mistura, natural-mente na minha in-coerente forma de ser. Deixe-me os pecados, que sei viver.
Dê-me arroz com feijão, papai e mamãe, um puxão de orelhas, cimento, carinho e telhas.
Faço uma casa pra dois, três, até quatro, se for o caso. Fico de quatro e aí, outro rebento, arrebenta por acaso.
Só não suporto óbvias farsas e teorias, tipo: não fugi de você, mas de mim. Nossa! Salve, salve Ser-afim!
A fim de que? De ser mais um, na hipócrita roda. Roda moinho, roda gigante, roda homenzinho, roda peão. O tempo roubou sua vida, sua rosa e seu coração.
Porque os homens insistem em dizer o que não sentem? E, ainda, Man-tem e mentem.
Aproveite, enquanto tenho sentimentos não abençoáveis. Enquanto, meu demônio é incansável.
E ama-te, muito mais que suporta. Abra essa porta e seja de verdade, o que arde.
A distância é só um teste, inconteste, pra quem tem a febre celebre de Arthur!
Excalibur!
Arranca a espada e o milagre acontece. Graal! Somos o cálice.
E se não for assim, que me esqueça, e fim. Faça de mim um conto, que não conta pontos pra sua sanidade, e nem pro mundo.
Não tenha vergonha de ser, esse vagabundo nem desse querer de amor profundo e da nossa humanidade. Sou objeto dos teus sonhos, ainda que teimes em esconder, por descrença ou pouca idade. Sou sua pior crueldade.
Porque sou de carne e osso. Moço! sou feita de suor, de pó, de amor e saudade.

Um comentário:

Marinês disse...

dei uma lida nos seus textos e gostei muito...parabéns!!!
Comecei a seguir seu blog assim acopanharei seus belos textos...

conheça o meu qualquer hora dessas

abraço