INSPIRAÇÕES DO POETA

31 de jan de 2010

Sentidos




O que me faz gostar de ti, quando não pego teu cheiro na fronha,
Sozinha, na tristonha cama de casal e esfrego no nariz?
O que faz em ti, meus versos de querer, que escrevo a outro,
Mas que cabem tão bem nesse teu rosto desenhado em giz?

Meu olho te capta, no escuro de qualquer noite miada,
Nas sete vidas que tenho e melhor, nessa vida de gata.
Minha língua é áspera e arranha as palavras cruas,
Afinal, de que me serve ser sádica, se dor não te mata.

O que faz em ti, eu ali e meu súbito campo minado,
Que tantas vezes é fogo e, outras tantas é ação?
O que me faz gostar de ti, se embrulhado em crepom,
Azul, só te como ao sul, mas tenho medo de avião?

Por favor, me incomode com questão herege.
Que santa não sou nem poeta, mas em tua pele (in)verso,
Um risco de amor sem chupão, sem lesão na epiderme.
Distante, nessa febre de íngua que é tua, eu observo.

5 comentários:

Pedro Antônio disse...

Ei, Ira, minha linda!

Adoro a sua visita, adoro o seu blog!

Muito obrigado pelo carinho da sua presença! Volte sempre! Te espero!

Um beijãooo.

Pedro Antônio

Mateus Luciano disse...

por vezes a presão nos fortalece
e por horas ela esta ali pronto
presente ,a cada instante
e como a rua desenha
propositalmente com giz
aquele mesmo giz rabiscado no chão da rua
que a chuva não aliviou
e mesmo assim ainda ter o amor para gostar do amor e viver o amor.....

Belle disse...

Gostei das palavras...
O amor... uma caixainha de mistérios... bjos

Márcio Kindermann disse...

Cara, já amei distante...o que me restava era a lua... que era a mesma, no norte e no sul!
Faltava asas para voar, palavras para dizer-ouvir, mas a lua...
Fogo-ação,guardo no azul do crepom, com a lingua salivando!
Campo minado!
Bj meu

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Ira, ao ler seus textos, é impossível não te imaginar. Dá pra sentir a mulher forte, apaixonada, sensual e super viva que vc é.

Que energia bonita!