INSPIRAÇÕES DO POETA

25 de jun de 2010

Tuareg




Ela, uma bereber acreditava ser azul a cor do mundo, do céu, teto da casa. Sua alma nômade pastoreava a vida e as cabras, por que amava a humanidade de todas as coisas.
Aprendera menina, a ser livre, a farejar o ar e apurar a visão. Entendia o que diziam as estrelas e o sol, enquanto caminhava descalça na areia quente.
Sabia que cada noite era única e diante do calor da fogueira sonhava com seus ancestrais que a ensinaram ser ela mesma.
Ela que amava simples e profundo, não conhecia a saudade. Tinha tudo que precisava!A felicidade em cada pequena coisa e gesto, a alegria de ser tocada e estar junto, o tempo eternizado e o valor daquele povo azul, onde ninguém quer ser, por que já é.
Por trás daquela fina tela de algodão, que podia ver e respirar a imensidão, seu rosto era feliz, como quem sente, simplesmente.
Ela, uma tuareg – abandonada – uma mulher que pertencia ao amor, de um azul fascinante, no deserto do mundo vivia em silêncio, pois era preciso ouvir alto o coração.
O coração dos homens azuis!

6 comentários:

Jacson Faller disse...

Lindo texto, fez-me parecer ter acesso a um outro universo, universo inacessível a mentes estreitas. Tenha um belo dia. J. Faller.

Úrsula Avner disse...

Oi Ira, texto sensível que traz mistérios da alma feminina, desse universo ainda pouco explorado e compreendido... Muito bom ! Bj com carinho.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Ira! Passando para te desejar um ótimo final de semana e dizer que adorei o texto. Profundo e dotado de muita sensibilidade.

Beijos,

Furtado.

MENEZES disse...

Belo texto, divaguei solenemente! Lindo!

robrobinho disse...

Gostei da alegoria!
Uma forma muito cômoda de escrever sobre si mesma!

Robson Ribeiro

CARLA FABIANE... disse...

Você é assim.

Um entrelace de almas
e você, que já era tão bela
bem mais bela se me fez...

A vida me surpreende a cada dia,
seu pedido; foi a mais linda
canção de amor que já ouvi...

me restou chorar um choro bom
desses que nos lava a alma,
e, o coração dá uma pequena pausa
para meditar sobre o amor...

depois, sorrindo segue um compassar
lento, tranqüilo e absolutamente apaixonado
porque sabe que encontrou uma amiga
com a qual terá sempre nova razão para sorrir.

AUTOR
Marçal Filho

Um ótimo final de semana!
bjs