INSPIRAÇÕES DO POETA

14 de set de 2010

Antropofágico




Poderia te amar se você me desse um par de olhos frescos como esses que não perdem o brilho com o tempo e um bouquet de poemas pra cada dia da semana. E se tivesse espinhos? Que tem! Eles não doem mais que as ausências. Prefiro-os!
Por hora só tenho desejo e curiosidade, uma ânsia crua de quem vai comer sushi pela primeira vez. Um sentimento antropofágico de saber o cheiro, o gosto e sorver aos poucos a carne e a essência. O inevitável ritual de aproximação!
Ando pensando nessa fome de coisas cruas, ela começa tímida, mas de repente vejo aquela boca molhada de versos e língua, estranha, estrangeira, aquilo incomoda, e olho mais uma vez, ela fala, depois olho centenas de vezes, e ela fala mais, e fala bonito, não o de perfeição, mas um bonito de ser, de contente ou de triste. Uma boniteza de amor e desamor que sai da sua mão e soca minha cara a nocaute.
Aí, já era! Tudo que necessito “viciantemente” é devorar o banquete.
Tenho essa mania do inacessível, talvez, por ser pra sempre, como as estrelas. Gosto!
Gosto também de brincar de eternidade e desenho com os olhos as existências de tudo que desejo
Posso fazer com que suas mãos existam e que nunca larguem das minhas ancas, os braços de abraços e tantas possibilidades, dias de poesias na varanda, noites de roupas silenciosas nos cantos do quarto. Posso fazer você existir fora da fotografia, engraçado, não por querer e sim despretensiosamente, assim, meu riso seria solto e voaria até a sua boca, e ficaria.
A idéia é essa e agora às 24h: 16m, meu coração não dorme e nem se quer pensa no impacto que seria se eu dissesse tudo isso a você, logo você, que é tão cheio de salamaleques!
Meu coração é despudorado e não sossega, acho mesmo que não presta.
Então, que se dane sua cerimônia, pois não me chamo Sônia!

10 comentários:

Marcelo R. Rezende disse...

Isso que é um amor arrebatador, sem consequências, que se as medir nem liga.

CANTO GERAL DO BRASIL (e outros cantos) disse...

Ira,
Um bouquet de poemas, coisa mais linda! Verdadeira face dos poetas!

Abraço poético,
Pedro Ramúcio.

Brasil Desnudo disse...

Oi minha querida Ira!
Bom ter você lá no Desnudo, sempre com palavras agradáveis, onde confortam mas ainda o coração...
Amar é um dom, que vem de dentro!
E quem o tem, desfrutará sempre da paz interior e, o terá sempre ao seu lado, guardado com todo carinho e respeito.
Como você disse lá em sua mensagem...
Vamos nos Amar, pois sem ele, o Amor, não somos nada!

Um lindo dia pra Ti minha querida Ira.

Bjs e muita paz

MARCIO RJ

Lily disse...

Nossa!

Desde que cheguei aqui e lembre-se que cheguei há poucos dias, não posso então falar dos textos anteriores que ainda não tive tempo para ler.

Mas, desde que cheguei aqui, considero esse o teu melhor, dentre os que li.

Ótimo! Senti por você, ou melhor, senti junto, vi a boca, ouvi as palavras, senti aquela coisa aflita, afoita.

Muito bom mesmo.

Beijos!

Lily disse...

Li de novo!

"O inevitável ritual de aproximação!
Ando pensando nessa fome de coisas cruas, ela começa tímida, mas de repente, eu vejo aquela boca molhada de versos e língua, estranha, estrangeira, aquilo incomoda e olho mais uma vez, ela fala! "


Beijos, querida!

| A.Luiz.D | disse...

Que Big-Bang de
emoção e desejo!!!
A totalidade já está ao
seu alcance..
Com palavras assim o seu
vicio inacessível,
criam sua própia
conquista!

bjos

Tânia Meneghelli disse...

Textos com cheiro, cor, sabor e temperatura elevada. É assim que você escreve, Ira.

E este é mais um texto para ser saboreado. Que delícia!

Beijoca!

Kátia disse...

Uauuu!!
Lindoooo!!!
Sem palavras.
Seu bolg, já faz parte da minha leitura diária.
Beijos queridaaaaaa!!!
E uma ótima semana.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Ira! Passando para te desejar boa noite e dizer que adorei o texto. Uma verdadeira entrega. Muito profundo.

Beijos,

Furtado.

Rob Novak disse...

"uma ânsia crua de quem vai comer sushi pela primeira vez"

"fome de coisas cruas"

"Logo eu, que tenho pudores fui nascer com o coração audaz"

É isso o que dá saber se expressar, você acaba revelando pensamentos alheios de quem até então não havia se pensado daquele jeito.

Muito bom!

Bjo