INSPIRAÇÕES DO POETA

3 de dez de 2010

Incongruência




Era iminente o enfretamento:
Não me chame de vaca!
Ela, sagrada, de quatro, eu!
Só tenho essa mentira que te faz Deus.
(e vais ao céu, por bruxaria)
Meus olhos não estão nos teus,
Então não procure coração.
Tens minha nuca limpa, nas unhas,
Sobre pensamentos sujos,
Que sorrindo não desperdiço.
Entre o algodão áspero do lençol,
O tremor das tuas coxas,
O temor do homem, o tempo.
Imponha as botas e os punhos,
A fidelidade lacaia, que imaginas.
Grita a tua virilidade, que me compadeço!
Eu, inútil na fotografia, me apago
E morro de inocência apunhalada.
Fodo contigo, por imprudência tua,
Que nunca me amou santa
E jamais me desejou puta.

22 comentários:

Sil.. disse...

Ira,

O que a gente faz quando fica sem ar num poste desses, me diz?

Fico me perguntando dos poucos homems que amei, quantos me desejaram e me amaram assim..

Que nunca me amaram santa
E jamais me desejaram puta.

Você é lindaaaaaaaaaaaaaaaaaa de viver, Ira!


Um beijo!!!

E chico? Ahhhh, esse eu queria que me amasse hehehehe!

Sil.. disse...

Hahahahaha, lindonaaaaa!

Nós e nosso amor por esse Homem...Deus me acuda se encontro cara a cara com ele hehehehe

Te gosto um tantão, sabia né?

Outro beijo!!

Antonio José Rodrigues disse...

Manto vermelho sagrado ou profano , Ira, não importa o importante é, no circo real, sentir o pulsar da vida na relação. Beijos, da Ilha do Amor para vc.

Poeta del Cielo disse...

versos fortes.... mais o amor se deseja do mismo jeito que desejamos que nos amen ... de la misma intensidade en todo momento.... o amor e sublime como sublime e o sentirse amado e amada .... nunca se perde ese sentido alias nunca se devria de perder... amar y ser amado..belo minha querida amiga.. adoro suas letras...

abracos
otima semana
saludos

Uni ver sos disse...

Oi Ira!

Fortes sentimentos proposto nesses versos! Vc escreve com muita paixão, como se sangrasse...


Querida,
Qdo tiver um tempinho confirma por favor se recebeu o nome do seu amigo secreto, ok?!


Bjs!

Franck disse...

'sou seu homem e vc apenas uma mulher'... mais ou menos assim?
Bjs e um bom fim de semana!

Fred Caju disse...

Gosto quando você escreve com intensidade, ou pelo menos passa a sensação ao leitor. Excelente sábado para você.

Kátia Nascimento disse...

Amiga querida, deu até calor (rsrs). Que dom esse teu, hein?
"Que nunca me amaram santa
E jamais me desejaram puta."
Muito forte por ser real.
Beijoooos queridonaaa!!
Um apaixonante final de semana!
Deixei um comentário pra vc no meu ultimo post.

Érica disse...

É disso que eu gosto quando venho aqui: dessa paixão desmedida que deixa a gente sem ar.

bjãO Ira querida!
ótimo fim de semana pra vc e um abraço exageradamente apertado!

Uni ver sos disse...

Acabei de enviar o nome do seu amigo secreto pelo hotmail, vamos ver se agora chega...rs

Bjs!!

Marcelo R. Rezende disse...

Coitada, se ficou entre o santa e o puta, perdeu a diversão da cama.


Beijo, Ira.

Athila Goyaz disse...

São incongruentes mas se completam, é o eterno paradoxo da vida!
Adorei linda! bjbjbj

Lily disse...

IRA,

Valha-me Deus!

Acabei de ler e pensei: "forte". Ótimo texto, belo desenho (é teu?) e um silêncio num segundo, para sentir. Uma parada, uma respirada.

Beijos!

Carolina disse...

Bem dito! que compreende os homens? : /

=D =D

Besos.

Pelos caminhos da vida. disse...

Arrasou...

Um bom domingo pra vc Ira.

Obrigada pela sua companhia.

beijooo.

Canteiro Pessoal disse...

Interessante seu espaço. E veracidade sobre as muitas faces que um poeta percorre.

Abraços

Priscila Cáliga

Mari Amorim disse...

Estou passando para dizerlhe que além de estar participando do amigo secreto da Ester,quero desejar-lhe uma semana feliz,cheia de boas energias!
Mari

maiscores disse...

profundo e profano,
adorei esse texto *-*

Nilson Barcelli disse...

Ira, este poema é desconcertante, mas soberbo.
A excelência das suas palavras é uma constante, aliás. Parabéns.
Beijos.

Daniel disse...

Excelente poema poetisa,
você consegue impressionar
todas as pessoas
como estas palavras fortes
e reais. Quantos momentos,
quantas glórias, quantos prazeres,
ah...quanto, não é?

Beijos,
Dan

Jorge Pimenta disse...

como diria roberto, um amigo dos blogues e teu conterrâneo: putz... que textaço!
o temor do homem e a inutilidade fotográfica da mulher. nem puta nem santa, nem proxeneta nem diabo... apenas os despojos afectivos daqueles que só sabem perder...
palavras para quê, doce amiga?...
um beijo com toda a ternura!

Patrícia Gonçalves disse...

Nossa, poema forte! Somos, muitos mais que papeis e medos tolos, por isso, amedrontamos!

Passando para dar um beijinho pelo amigo secreto! Quem será que nos tirou?

bjs