INSPIRAÇÕES DO POETA

29 de mar de 2011

A Olho Nu





Vês minha face esdrúxula ou somente tua ilusão?
Essa necessidade dos corpos de prazer e boniteza,
Essa vontade das almas de amor nelas já existido.
Pois me despersonaliza, quando nasci vileza.

Quando humano criminoso permito que vejam meu sentir
E ainda escrevo versos cretinos de sentimentalidades,
Um alfabeto de libertação meu e de escravidão tua,
Que te impõe a sentir igual e a pensar em compatibilidades.

Diz-me: Eu te amo. Qual o quê! Amas o que lês com lente.
Olha-me a olho nu, esse amontoado de estranhezas, o que sou.
Uma paisagem sem importância a consumir poemas mortos
E teu amor não sabe o que ama. Ama a face onde não estou.

22 comentários:

Poeta del Cielo disse...

Ira Amiga letras que nacen del corazon y asi se sienten al leer la emocion y sentir que plasmas en ellas es grandioso..felicidades

saludos
linda semana
abrazos

Jasanf disse...

Amar a face onde se está será maravilhoso, no entanto nem sempre os acordes estão em harmonia e no tom correto da canção de amor. Pena que há pessoas quem não enxergam a olho nu e não sente o que o eu-lírtico afirma no poema.

Lily disse...

Ira,

Às vezes, você me aperta. Apertou agora. Senti tudo como se não entendesse, mas eu entendi muito bem, provavelmente querendo é não entender.

"Diz-me: Eu te amo. Qual o quê! Amas o que lês com lente.
Olha-me a olho nu, esse amontoado de estranhezas, o que sou.
Uma paisagem sem importância a consumir poemas mortos
E teu amor não sabe o que ama. Ama a face onde não estou. "

Crueza, é isso, você é cruenta. Sinto-me assim e parece que virou eterno esse sentir.

E a imagem? O detalhe dos corpos criando o corpo...

Muito bom, moça! Teus textos têm DNA.

Beijos,

Suzana/LILY

AC disse...

Ira,
Bem lá no fundo o que está em causa não é o óbvio das imagens feitas, mas a verdadeira essência da qual fomos tecidos. E esse é um mergulho tão profundo que a maioria de nós não tem fôlego para o fazer. Dói demais.
Ira, parabéns!

Beijo :)

Chico Mário Feitosa disse...

Como biólogo, as vezes vejo a beleza como algo não tão amistoso. Ela tem o poder de manipular usando o sentido mais apurado do ser humano. Acho-a uma armadilha incrível da natureza, inebriante e capaz de tornar zumbi aqueles que se atrevem a idolatrá-la.

Analuz disse...

Empreste-me este grito, Ira brilhante...

Beijinho de Luz!

Dilmar Gomes disse...

Olá amiga Ira, teus poemas são perfeitos, sempre bem estruturados e com um conteudo claro.
Um grande abraço.

Érica disse...

ama aquele que vê a estranheza e aceita. Quem vê uma face bonita, apenas "gosta" do que vê, nem ama e nem odeia, aprecia. Prefiro ser vista ver e ser vista a olho nú,é mais curioso, interessante e, arrisco dizer, amável

bjãO Ira!
vc é demais!

Iram M. disse...

Simplesmente contagiante.
Parabens por mais essa arte.

Um beijo

Malu disse...

E teu amor não sabe o que ama. Ama a face onde não estou.

Como isto é cortante como lâminas extremamente afiadas.
Realmente, amiga, sentimentos raros só podemos ver a olho nu, aquele olhar que vem da alma... do coração.
Beijinhos

Machado de Carlos disse...

Eu te amo! Uma frase tão simples ao ser dita e ao mesmo tempo sentir. Um sentimento absoluto! Temos que ser precisos neste sentimento, tão precisos que o mundo pode até se acabar, pelo menos por instantes.
Adoro suas palavras. Adoro seus versos.
Obrigado por nos escrever com esta intensidade!
Beijos!...

Phivos Nicolaides disse...

O amor puro e verdadeiro, é o melhor sentimento, acima de tudo. Bjs

Tânia Meneghelli disse...

Ah, Ira...

Sempre dizendo, de forma tão profunda e certeira, aquilo que minha falta de sensibilidade poética não me permite fazer.

Beijoca!

helio.rocca disse...

Eis a grande questão da humanidade, amamos o que vemos e não o que realmente temos. O ser humano encanta-se pela paixão e pronto, passa por cima de sua própria realidade, releva o real. Tempos depois quando começa a tomar sentido da realidade a quer negar, então, acontece o que estamos sempre a ver por aí: insatisfações. Belo poema, muito real amiga. Parabéns!

Carolina disse...

Não sei os outros, eu vejo você ... mulher tão apaixonada.
Besos, querida Ira.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Oi Ira! Mais uma vez, nos presenteias com mais uma bela criação. Adorei o poema, muito profundo, principalmente a estrofe abaixo:

Quando humano criminoso permito que vejam meu sentir
E ainda escrevo versos cretinos de sentimentalidades,
Um alfabeto de libertação meu e de escravidão tua,
Que te impõe a sentir igual e a pensar em compatibilidades.

Beijos e muita paz pra ti.

Furtado

Ana Agarriberri disse...

Perdoa minha ausência Ira, mas de fato, cheguei à conclusão que não doso estudo e o blog. Sempre cedo ao segundo. Rsrsrs. Então às vezes tenho que me afastar, pois é preciso.
Sabes, no entanto, que tenho um carinho grande por ti e por teu espaço e que sempre fico feliz com tuas visitas e comentários.

Tenha uma boa semana querida, sempre que possível, estarei aqui. Beejo,beejo.

A.S. disse...

Ira,

Como são terriveis os olhos do amor quando acordam vazios!


Beijos meus,
AL

carmen silvia presotto disse...

Os olhos são feito também para sentir, por momentos apenas vemos o que é espelho, e aí te lemos para alcançar o que o olho nu busca disfarçar... que seria das coisas sem o olhar do Homem? No entanto, que seria do Homem sem o sentir sobre as coisas?... e te ler me coloca a refletir, por isso venho sempre aqui...

Beijos.

Carmen.

F. Otavio M. Silva disse...

A beleza agrada aos olhos, mas das qualidades que admiro em uma pessoas ela é a mais tênue e efêmera.

Long Haired Lady disse...

eu o amo com sua face verdadeira, com seus erros e desacertos, com sua cabeça confusa, o amei até quando ele nem aceitava este amor...

Marcio Nicolau disse...

não posso dizer outra coisa a não ser impressionante.

Poema e imagem.