INSPIRAÇÕES DO POETA

21 de mar de 2011

Réu(mático)




No ato humano de alguns movimentos triviais, a dor contamina minhas articulações como infâmia, sem que eu mesma tenha levado uma só porrada histérica ou arranhadura indescupável.
Dói intermitentemente a dor, não por velhice ou acidente, mas por ter vivido tristezas graves, dessas que amordaçam o espírito e o grito foge pelo corpo.
Um grito cheio de ecos patológicos que se instala feito praga nas juntas a carcomer espontaneidade e ânimo.
Um grito oriundo da vileza que é minha, essa arrogância de me atirar ao mar e enfrentar as vagas irregulares, e mais, o mergulho profundo no fundo obscuro dessa civilização.
As vozes dos homens me apodreceram ossos e ligamentos, enquanto eu acreditava em palavras, quando meus propósitos eram simpáticos.
Sinto agora minha juventude ofendida por essa ditadura dolorosa que me torna um ser ridiculamente limitado, que esfrega na cara, na minha impotência interrogativa, a impossibilidade de ser eu mesma com todos os truques de mãos e pernas que aprendi vivendo.
Porque eu, por quê? Eu que sempre gostei de olhar o céu nu e repleto de estrelas, minha cervical flexível e leve, eu que branca de lua pensava: Como pode haver dor sob um céu habitado de belezas?
Minha alma anda dos pés a cabeça aprendendo a conviver com abraços menores, com passos cegos e com esse incêndio que nasce nos ombros a descer até os calcanhares queimando músculos e dignidade.
Não há como me salvar desse chute no rabo, da vida ou quem sabe da ancestralidade, o fato é que herdei o inferno e as alegrias domésticas não pertencem aos miseráveis.
Preciso aprender a morar com o diabo!



Há mais ou menos 3 meses descobri que sou portadora da síndrome de fibromialgia, uma doença incurável, não degenerativa, mas que causa dores terríveis nas articulações e músculos, além de limitações de alguns movimentos, insônia e fadiga. A medicina desconhece as origens, por conseguinte, não há tratamentos específicos. Cogita-se que é deflagrada, basicamente, pelo emocional (tristezas, preocupações, choque emocional e estresse). Alguns especialistas consideram a patologia como o mal do século.
Deixo aqui meu apelo a quem convive com algum fibromiálgico: Não subestimem a doença e as dores, pois pode levar o portador a um quadro de forte depressão, já que a própria condição favorece. A fibromialgia precisa ser entendida e os portadores necessitam de compreensão, paciência, respeito e amor, numa dose mais forte.
Com carinho, Ira Buscacio

32 comentários:

Elisama disse...

Lindo blog, gostei muito! voltei para visitar e deixar um recadinho ^^.... abraços boa semana

helio.rocca disse...

Extremamente reflexivo e escrito com bastante desenvoltura poética.
Entretanto, por mais belo, expôs incerteza. Dúvida, isso, a dúvida. Dela vivemos e dela sempre nos surprendemos. As certezas nascem mortas. Parabéns poetisa, lindo poema onde expôs sem medo o que poederia expor. Adorei!

Mateus Luciano disse...

cada vez mais maduro seu trabalho
como um whisk envelhecido e no ponto de sorve lo

♪ Sil disse...

Ira, hermana!!

To achando que você é uma bruxa (do BEM, claro), que sabe de mim um tanto assim.
Você me lê amiga.
No passado, presente, quiçá ali no futuro.
Que bola de cristal é essa minha linda, hum?

Agora, cá pra nós:
Eu já aprendi a conviver com o diabo faz tempo.
Faz parte!

Ira, se tu soubesses como adoro o que escreve!!

Um beijoooo, ó metade adorada de mim!

(No corre, mas não posso deixar de passar aqui).

Assis Freitas disse...

acidentalmente fatal, cheio de flechas certeiras


beijo

Antonio José Rodrigues disse...

Um mergulho, Ira, na escuridão do ego revolvedor de arquivos adormecidos pelo tempo e, no momento oportuno, escarrado na cara do mundo. Agora, tenho dúvida se vc é poetisa ou deusa ou, quiçá, duas em uma. Beijos

Sandra disse...

Adoro a versatilidade da tua escrita, mas sempre com a sensibilidade à flor da pele.
Beijo

carmen silvia presotto disse...

Dor, dor humana...te abraço forte minha amiga... que estas palavras sejam e sirvam para muitas sublimações.

e junto as minhas palavras beijos fraternos.

Carmen.

Iram M. disse...

Ira querida,

Eu nunca tinha ouvido falar dessa tal fibromialgia, que pelo teu relato nao nada fácil a convivencia com ela. Quando eu tiver uma oportunidade, vou perguntar algum especialista daqui de fora, quem sabe aqui eles tem mais informacao sobre o caso, né?

Boa sorte, amiga!

Um beijo

♪ Sil disse...

Ira, metade adorada de mim!

E como precisam de amor.

Tá vendo esse AMOR que sai aqui do meu coração?

- É SEUUUUUUU -

(Sei bem como é sentir dor), a gente brinca, mas sei como é, sou a prova viva disso.

Um beijooo!

Machado de Carlos disse...

Olá Ira!

Já ouvi falar desta doença. Realmente você está certa. É causada por problemas emocionais.
Tenho uma Amiga que possui um blog, que tem esse problema.
Acho que ela usa medicamentos à base de calmantes para amenizar o problema.

Um Abraço,

Espero que você fique bem!

http://porvocepormim.blogspot.com/

Marcia Morais disse...

querida vim através do machado de carlos conhece-la pois sou portadora
da mesma sindrome,em um dos meus blogs conto como vc o que esta acontecendo e porque aconteceu comigo
http://porvocepormim.blogspot.com/

é realmente triste ,meu meudico tbm me avisou nao ter cura,e que é motivo de preocupações tristezas e depressões,eu consegui uma melhora com ajuda de anti-depressivos mas nao quero ser refe´m dele então voltei a sentir as dores.
nao tem sido facil as pessoas nao entendem como derrepente vc esta bem e do nada fica mal,com dores rigidez queimações ,tenho outros blogs todos estao parados porque estou em crise.mas agora vejo que não estou só um bjo querida.
marcinha

Malu disse...

Menina Ira, piores são as dores da alma, porque estas ninguém pode nos tirar, mas as outras a gente supera com um riso ou dois.
Linda construção poética, até para a dor você conseguiu construir uma poesia.
Beijinhos, minha querida!

Eva disse...

Oi amiga, importante aqui, como vc se desnuda e auxilia também quem sofre a mesma dor, sei o quão complicado é ter essa doença, e que bom o seu alerta, bem a calhar, pois tem muitas pessoas que a tem, querida, ofereço todo meu apoio toda minha força astral para que vivas lindamente e guerreiramente como é da tua natureza, que te levará a vitória sempre e auxiliará muitos pela coragem e exemplo, bjinhos.

Nilson Barcelli disse...

Querida Ira, como eu lamento a tua doença. Da minha parte, terás toda a compreensão, paciência, respeito e amor fraterno, numa dose reforçada... portanto, já estás meia curada... (desculpa a brincadeira, mas foi só para que sorrisses...).
Não sou médico, mas há vários males físicos causados pela parte psíquica. Por isso, cuida da mente, já que não podes fazer mais nada...
Querida amiga, espero que resistas à tua doença e que esta não te incomode muito.
Beijos.

Franck disse...

Ira, gostaraia de mandar-te um email, vc pode mandar o seu para mim? Procure-o (email) no lado direito do meu blog...
Bjs*

Carolina disse...

Minha Ira bonita, estou muito surpresa com sua revelação. Nunca teria pensado... você é tão intensa e vital! Eu espero que você está cercado pelo amor de suas filhas, neta e toda a família. Felizmente, este doença não foi com o seu grande talento.
Eu envio todo o meu amor.

Mari Amorim disse...

Minha querida,
vc fez essa postagem pra mim?
Obrigada pelo carinho da visita e comentário,deixando a essência de boas energias em meu espaço,desejo-lhe dádivas sem limites!
um abraço,
Mari

Phivos Nicolaides disse...

Lindo poema! Desejo que você tenha um fim de semana esplêndido. Beijocas!

Long Haired Lady disse...

tenho duas primas com esse mal, é bem dificil conviver com a dor e principalmente com a depressão.
mas pelo que vejo você é forte, e vai ter a coragem de enfrentar tudo isso!

beijo!

Chico Mário Feitosa disse...

Tenho um grande amigo com fibromialgia... Já eu, tenho artrite reumatóide desde os 19 anos e sofri pra caramba sem andar por quase um mês. Hoje vivo sem corticóides e parece que meu organismo ta entendendo algumas coisas que acontecem. Entretanto, entendo perfeitamente suas colocações... senti mta solidão na época mas to aqui vive e forte pra contar a história... Livre pra viver o q a vida tem de melhor.
abcs

Sonhadora disse...

Minha querida

Hoje não falo do texto que como sempre embriaga os sentidos...mas lamento o problema de saúde, é uma doença de difícil diagnóstico e não muito entendida pelas pessoas que vivem com a pessoa que sofre dela, mas pelo que conheço do que leio de ti, tens a força suficiente para conviveres com isso, fazendo da fraqueza forças...por mim deixo apenas um beijinho...e estou aqui no blogue ao lado.

Sonhadora

Analuz disse...

Abraço de Luz, Ira brilhante...

BLOG DO PROFEX disse...

Ira, como sempre seu texto é extremamente cortante. Uma navalha. Conseqüentemente deve tomar cuidado com as palavras com que os compõe...
A medicina oficial cria nomes bonitos para as dores e se esquecem da evolução normal do corpo. Nosso corpo nos acompanha e devemos dar-lhe o carinho e o cuidado que merece e nós, que o habitamos, devemos TER tudo aquilo que colocou: compreensão, respeito e amor.Mas nós já temos tudo isso. Em maiores ou menores quantidades. Mas se agradecermos à vida todos os dias veremos que temos até mais que o suficiente para que o corpo evolua de forma natural.
Agradecer é perceber a graça de Deus atuando em cada célula...
Grande abraço, menina

A.S. disse...

Ira...

Essa doença é muito comum em quem praticou desporto. Eu próprio, quando jogava hóquei, tive uma fibromialgia numa coxa. Felizmente resultou de uma sobrecarga de esforço e foi resolvida a tempo. Consulta um bom fisioterapeuta!
Espero que fiques bem!

Um abraço!
AL

Jorge Pimenta disse...

querida ira,
há sempre um diabo a espreitar por detrás de cada verso de vida.
um abraço com o carinho imenso que tenho por ti!

Marcia Morais disse...

oi amiga vim te desejar bom fim de semana ! bjos!

Mari Amorim disse...

Ira
Obrigada pelo carinho e comentário,deixando suas boas energias,muitas dádivas em sua vida!
um abraço,
Mari

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Morar com o Diabo é fogo, rs

Beijo e obg pla solidariedade lá no Incongruencias

AC disse...

Ira,
Já ouvi falar dessa doença, mas de uma forma vaga. Deixo o meu sentido carinho.

Beijo :)

Lily disse...

IRA,

Faça isso: escreva, grite, coloque pra fora, talvez assim, o diabo amoleça, talvez assim, você possa combatê-lo. Li, certa vez, desconheço a autoria: "o silêncio dos que se calam é o grito de vitória de todos os demônios."

Beijos, querida!

Suzana/LILY

Marcio Nicolau disse...

será que você acredita se eu disser que, de uma certa forma, eu já sabia?