INSPIRAÇÕES DO POETA

23 de mai de 2011

Ruídos Equivocados




Agora não mais loura passo por ruas levando caminhos nas mãos e no compasso dos passos destaco um desassossego nos sapatos.
Cretinice minha, mas sempre pensei que as louras andassem melhor no salto dez do que as outras, na verdade, as topadas são luxos sem exceções.
Passo por homens a cuspirem cios de bichos sobre minha presença despretensiosa, esses desejos desavergonhados dos quais são ditos as mulheres dos outros, masoquistamente.
Eu, contraditória convicta, sempre sinto uma piedade quase tolerante, como nas filas de idosos, desses ordinários homens e suas esposas infiéis, senhoras que sonham com amantes leoninos a murmurarem em suas orelhas vazias, o gemido primário das febres.
Pobres homens de carne!
Que nas calçadas exibem na ilegalidade suas síndromes fálicas, sem papel de presente, sem levá-las pra casa, como um político corrupto que camufla o roubo.
Pobres homens de poeira!
Que ruminam roncos embriagados no sono patético, enquanto suas companheiras, na distância de um lado ao outro do abismo, se lambuzam entre dedos e obscenidades.
Atravessam de dentro pra fora o coração chamando indutivamente a paixão, afim de que possam encher seus palácios de audácias e que todos os seus chãos sejam acompanhados de pedras quentes.
Donas de zonas de perigos dentro das almas e fora, com golpes de distrair noites sem decadência e nenhuma lógica veste suas vontades
Toda mulher quer um destino de puta, mas os homens lhes dão altares!
Esse lugar que é de Maria, maternalmente asséptico, onde equivocadamente e cômodo, eles constroem suas respostas edipianas, sem orgasmos.
E elas, as silenciosas, que nascem uma vez por mês, todos os meses, no sepultamento do filho que nunca existiu, sem maldades graves acendem candeeiros e queimam ao fogo suas antigas cascas de sagrados nervos. Segredos de sangue!
Creiam em mim que há gente humana dentro das camisolas!
Agora grisalha dou-me as vielas e becos, com os olhos abertos e atados aos postes, onde do alto vejo melhor o lixo acumulado.

25 comentários:

Jose_Kunita disse...

TÚ SERÁS MÍA PARA SIEMPRE
;)

C. disse...

Que intenso!

Evanir disse...

Conhecendo seu blog hoje .
Certamente com fundamento e grande verdade em muitas coisas .
O ser humano não tem limites quer sempre atingir novos alvos cada vez mais audaciosos .
Uma linda semana beijos meus,Evanir.
www.aviagem1.blogspot.com

Dilmar Gomes disse...

Amiga Poetisa Ira, sempre que vou à glogsfera, se faz necessário uma visita a esta página, pois aqui encontro poesia escrita por quem conhece o ofício.
Parabéns por mais este lindo poema.
Fico na torcida para que alguma editora veja de perto o teu trabalho e o publique.
Um grande abraço.

♪ Sil disse...

Ira, minha metade adorada!!!

Tão verdadeiro isso de ser Maria..
Onde eles realmente constróem suas respostas edipianas sem orgasmos.

Sem orgasmo algum!!!

PQP, você arrasa nas palavras, você sabe parir as palavras sem dor, com prazer.
Você pariu as palavras aqui dos nossos ventres, e a gente cuida delas, como se cuida de uma alma.
A nossa alma, onde do alto a gente vê melhor o lixo acumulado!!

Inimaginável não ser sua fã.
Como escritora, mulher, amiga, em tudo.
Sou suspeita pra falar, porque adoro você um absurdo.

Como vão as coisas ai??? Conta tudo!
Doladodecá, tá tudo normal. Coluna deu uma trégua.

Um beijoooooooooooo

Analuz disse...

Você disse tudo, Ira... certezas de quem se sabe mulher...

Beijinho cúmplice, moça brilhante!

Marcelo R. Rezende disse...

As loiras comandam, de fato.
Não que as morenas não sejam tão fodas quandto as louras, mas as do cabelo claro, do rostinho danado, ah, essas comandam.


Beijo, Ira!

silvioafonso disse...

.

Entre os meus melhores amigos
eu distribuo meia dúzia de selos,
cópia de minh'alma. Um eu guardei
pra você, basta copiá-lo e guardá-
lo na sua página, no lado esquerdo
do peito.

silvioafonso






.

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
Particularmente, gostei desta passagem "eles constroem suas respostas edipianas, sem orgasmos.

Respondendo à sua gentileza, otima semana tb p'ra vc.

Beijooo !!!

Jorge Pimenta disse...

aqui, nada fica pela metade: as palavras não têm meios sentidos e o homem e a mulher são deliciosamente moldados com o barro da vida, onde tudo é frágil, imperfeito, quebrável. fã incondicional da tua poesis, querida amiga!

Lucas Nícolas™ disse...

Esse texto, teve um jogo de palavras bem diferente, interessante e bem convicto... Adorei! abraços grande mulher!

Marcia disse...

Foi ao fundo amiga ....profundidade verdades,,,ador esta poesia que em ti aflora,bjos!

Sandra disse...

GOSTEI MUITO DE PASSAR POR AQUI.
ESTE FACES DE POETAS. BELO NOME..DIZ MUITO.
HOJE TIREI UM TEMPINHO PARA REVER AMIGOS.
A SAUDADE AS VEZES APERTA E NOS INVADE O CORAÇÃO. É SEMPRE BOM REVER..VISITAR E CONVIVER.


TEMOS ALGUÉM MUITO QUERIDA EM COMUM. POR ISSO DEIXO O MEU CONVITE PARA TI. VENHA CONFERIR AQUI NESTE CANTINHO.
http://sandraandradeendy.blogspot.com/

AS AMIZADES SÃO COISAS MUITO ESPECIAIS QUE CULTIVAMOS. SÃO PÉROLAS EM CONCHA..
CARINHOSAMENTE DEIXO O MEU ABRAÇO
SANDRA

Poeta del Cielo disse...

Ira amiga querida Pasar a leer suas lindas letras e emocao pura de inicio ao fim.. poder tocar con os olhos os sentimentos que em suas letras belas deixas e belo... sempre lindo tudo parabens amiga ..

abracos
otima semana
saludos

Carolina disse...

Oi Ira, ay, ay, ay! esta postagem queima, é puro fogo. Intensivo me passou a letra! Beijossss!

Sandra disse...

Muito intenso, muito verdadeiro.
Belo retrato!
Beijos

carmen silvia presotto disse...

"Creiam em mim que há gente humana dentro das camisolas!"

Amei isso, vou usar como defesa aos saltos da vida (hehehe)... simples e diz dos percalços de tantos dias de marias...

Um beijo grande

Carmen.

| A.Luiz.D | disse...

Com força ein,

torceu pobrezas e feitios aos lutadores, aos encurralados..
Uma poeira de vento, nem assim
varreu tanta maldade. Os "Segredos de sangue" sabe a quem reconhecer.
Pobre Homen-Camisola!

bjos

Sandra Botelho disse...

Vou te dizer uma coisa sem medir palavras, posso?
Posso neh?
Não vou voltar aqui pra saber a resposta não...Lá vai...VOCÊ É FODA!
vC É TUDOOOOOOOOOO.Beijos achocoaltados

Mari Amorim disse...

Oi,Ira,Ira,Ira!
Aplausos!um dos mais bonitos texto que já li,tão verdadeiro,que seu contexto serve de carapuça pra muita gente!
Aproveito para agradecer-lhe a visita e a interação,na homenagem de meu amigo Elcio,do blog Verseiro.
Deixo-lhe um abraço,cheio de boas energias!
bjs!
Mari

A.S. disse...

Ira,

Adoro a forma intensa e descomplexada com que descreves cada passo que é dado em direcção ao caos...


Beijos!
AL

Zil Mar disse...

Oi Ira....

pintou as sua palavras...e fez uma tela...tão nitida e trasparente...que é possivel ver os detalhes...

meu carinho e admiração...SEMPRE!

Zil

jennyfer Lima disse...

Texto lindo'
intenso e poético
*-*
Bom fim de semana querida.

"Bjo"

♪ Sil disse...

Ira, metade do coração da Silzinha:

Nem me fale que ando surtando com esses trecos do blogsPUTO hehehe.
Qdo eu vi que tava sem seguidor, sem atualizações (agora que me aparecem, mas os seguidores não), achei que era efeito do meu calmante da noite hehehe, mas vi que é geral.

Avemariacruzcredo, que saco isso.

Pior que nosso grande mestre TUCA, me disse que mudou de conta e regularizou o dele.
E eu to aqui roendo as unhas pra ver se ele me responde meu email e me ensina a mágica!!!!

Amada, fico feliz em saber que você tá bem!
Faz uma banana bem grande pra essa fibro. e manda ela cantar em outra freguesia.
Fica BEM, que eu também fico!!

Beijo nesse coração que é de ouro!

Adorooooooo-te!

AC disse...

Um olhar sarcástico, com a lucidez necessário para caminhar evitando a hipocrisia pulsante...
Ira, é bom sentir e partilhar o que lhe vai na alma...

Beijo :)