INSPIRAÇÕES DO POETA

15 de fev de 2012

Isca Para Prato Cheio


Há esse sol no corredor do olho,
Por onde teus passos passeiam quando penso
Entras e ficas pelos cantos molhados,
Feliz de calor em ser
Leito,
Onde córrego de contentamento
Até o (a)mar.
Afundamos adivinhos, no fundo do oceano líquido de nos,
Os corpos de peixes.
Despimos as escamas das horas graves
E nos servimos das postas de aposta, sem espinhos.
Pesca-me!
Pesco-te!
Isca ilusionista.
As peles pegajosas jogam-se na rede,
Enquanto os pescadores rezam farturas.

20 comentários:

Joelma B. disse...

sou pescadora no mar de tua voz, Ira brilhante... ah! que fartura de lirismo!

Beijinho de fã... é o jeito! rs...

Dilmar Gomes disse...

Amiga Ira, criativa como sempre!
Um abração. Tenhas uma linda noite.

Sahara Higino disse...

"E nos servimos das postas de aposta, sem espinhos.
Pesca-me!"


Diante do bem feitor lido;
Calo-me. Agrada-me tamanho
envolvimento de natureza
e vida vivida.

Angelo Augusto Paula disse...

"Há esse sol no corredor do olho"
"Despimos as escamas das horas graves"
Tem como dizer que não são frases perfeitas?
Lindo poema. Encantador.

Américo do Sul disse...

Ira Buscacio, valha-me! Tua isca é hipnótica. Nem tanto pelo q tem de exótica, mas pelo simples fato de saber ser peixe com a mesma verdade da reza q na rede se joga...

Assis Freitas disse...

os acantopterígios, malacopterígios e osteodermos, com esqueleto ósseo, e os condropterígios, de esqueleto cartilaginoso, agradecem


beijo

Jorge Pimenta disse...

há um poema de garrett, do romanceiro, que fala de pescadores, redes, estrelas, sereias, seduções, abismos, urgências e morte.

sempre que o leio, vejo-me homem dos mares. sempre que te leio, tenho a certeza de que há rede, mar e tanto navegar.

beijinho, minha tão querida amiga!


Pescador da barca bela,
Onde vais pescar com ela.
Que é tão bela,
Oh pescador?

Não vês que a última estrela
No céu nublado se vela?
Colhe a vela,
Oh pescador!

Deita o lanço com cautela,
Que a sereia canta bela...
Mas cautela,
Oh pescador!

Não se enrede a rede nela,
Que perdido é remo e vela,
Só de vê-la,
Oh pescador.

Pescador da barca bela,
Inda é tempo, foge dela
Foge dela
Oh pescador!

Almeida Garrett, in Folhas Caídas

Sonhadora disse...

Minha querida

Uma linda maneira de poetar o amor e a sedução...e que é o amor se não uma rede onde incautas caímos.

Deixo um beijinho com carinho
Sonhadora

Nelson Souzza disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
A.S. disse...

Ira... o meu beijo! E saudades!

AL

LauraAlberto disse...

um mar só não chega

beijinho
LauraAlberto

Marcelo R. Rezende disse...

Sempre tão envolvente, Ira.

Nilson Barcelli disse...

Palavras muito bem pescadas...
Ou seja, o teu poema é criativo e muito bom.
Gostei das tuas iscas...
Ira, querida amiga, tem um bom resto de domingo e uma boa semana.
Beijo.

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Ira. Adorei o seu poema repleto de metáforas inteligentes e com sentido sensual.
Um poema de amor corpóreo extremamente lindo!
Parabéns!
Um beijo na alma!
Fique na paz!

Luis Eustáquio Soares disse...

bom, sempre bom, no livre nadar barbatanados de peixes livres de anzois ou redes, nos afetos q nos
afetam
b
l

AC disse...

Um saciar de vontades filtrado após percalços de mil e uma andanças...
Sempre bem, Ira!

Beijo :)

carmen silvia presotto disse...

Hey, pescas-me poeta querida, que bom estar em tua linha, em tua poesia sempre... bravo!!

Um beijo grande e desejo de bom retorno de Carnaval.

Carmen.

Paulo Tamburro. disse...

IRA BUSCACIO,

você resolveu, realmente- superar-se e com folga- a sí mesmo, nesta tarefa admirável de bordar seus poemas como se fosse uma meticulosa e competente rendeira de Bilro!

O resultado, assim como o delas, é o de uma peça admirável de beleza estética e conteúdo poético invejável.

Nossa, e ainda tem brinde, que é a sua variação de fotos embelezando ainda mais o seu blogue.

Não falta mais nada!!!

Um abração carioca.

carla disse...

Entrei no teu blog e gostei,li o que escreves e amei. Muito lindo ! Se quiseres me visita,não sei escrever assim como tu,mas cadaum é como cada qual bjo e aguardo a tua visita

Carla GRANJA

http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt/

F. Otavio M. Silva disse...

ótima composição: "Por onde teus passos passeiam quando penso", Muito bom Ira.