INSPIRAÇÕES DO POETA

26 de abr de 2012

QUINTA-ESSÊNCIA DO AMORAMENTO - l




Amar-te!
Esta é à noite,
Qual, tu existirás às escuras e incomodando-me como asma,
Os pulmões em estado de calamidade, sem ar.
Pulsos calados e abertos a espera do sangue.
Contamine-me!
Tudo isto parece perturbador e pervertido,
Mas não, tudo isto é inocência.
Preparo a ceia, o sonho e a cama.
Na tecla play, uma voz inglesa,
A boca ao gosto de gorgonzola,
Minha boca sem beijo,
Na embriagues de qualquer rum barato.
Detalhes descabidos e mudáveis,
Como a face que chora.

Esta será à noite,
Que todas as minhas almas terão coração,
Mulheres de tons encarnados de um genuíno amor.
O corpo, sempre estúpido e pior,
Um horror a devorar espasmos e vomitar convulsões de desejos,
Onde nas teias tecidas de ausências se embrenha,
Ele, corpo medonho, que traz o mapa das desgraças na epiderme,
Não há de ser primazia.
Esta, que é a noite mais luxuosa de todas que escutei viva,
Não agitará o suicídio, mas o alcançável,
Tua voz,
Que é minha melhor possibilidade de afeto,
Quando em urgências me diz:
- Ainda que em quebra-cabeças – (a minha quebra, e quebra, e cabeça, e cabeça)
Amo-te, como quem te sabe, mas não acredita e não te vê morrer.

9 comentários:

Marcia disse...

Minha lindona amei demais,ah,amei também a foto da abertura!
Beijos!

Não agitará o suicídio, mas o alcançável,
Tua voz,
Que é minha melhor possibilidade de afeto,

Assis Freitas disse...

a noite de todas as (im)possibilidades palpáveis,


beijo

Marco Rocca disse...

Uma linda, delicada e muito bem escrita prosa poética. Amei!

Jorge Pimenta disse...

"Amo-te, como quem te sabe, mas não acredita e não te vê morrer."

deixa-me morrer nestes versos...

LauraAlberto disse...

Eu vou repetir, mas este são, sem sombra de duvida, os versos que farei meus:

"Amo-te, como quem te sabe, mas não acredita e não te vê morrer."

às vezes uma boa morte é bem melhor do que uma ausência, sem despedidas que corrói

beijo

dade amorim disse...

Otiginal e belo poema dos impossíveis.

Beijo.

Jorge Pimenta disse...

olha, a laura e eu detivemo-nos no mesmo verso: o que sabemos, no que cremos e o quanto morremos...

beijinho, minha querida ira!

Carolina disse...

...e eu adoro ver seu sorriso quando eu venho no seu blog.
Feliz fin de semana laaaaaaargo!

Sonhadora disse...

Minha querida

Entre o gesto e a ausência, morremos tanta vez.
Entre a boca e o beijo...há tantas noites por cumprir.
Como sempre ler-te é adentrar na imensidão da tua alma.

Beijinhos com carinho
Sonhadora