INSPIRAÇÕES DO POETA

28 de abr de 2012

QUINTA-ESSÊNCIA DO AMORAMENTO - ll




Se eu tivesse mais alma pra dar eu daria. Isso pra mim é viver. (Djavan – Linha do Equador)

Diz-me no canto do olho,
O mais desalmado,
Que o amor é grande.

Convença-me que é possível,
Muito mais que os motivos,
Além, muito mais,
Do que uma rua é triste
E tão livre é o cão que a ganha sem dono.

Converse comigo sobre os cravos,
Estes são menos prepotentes
E amam apesar da morte.
Amam sem pétalas, pele e carne, eternamente.

Risque-me tuas urgências,
Com o fio da faca, na pele,
Que há de descobrir vísceras,
O sangue é a mais valiosa moeda,
De quem recebe e paga.

Toque-me a canção pactada, por mãos sem atos,
A cena acena uma razão desconhecida,
Uma sacana peleja entre corpo e alma.

Confunda-me, como se tu, pecado-versos, fosses confissão,
Que não verdade, que não mentira,
Onde sempre falta um ponto final.

Por fim, apenas me siga, quem sabe longe,
Do contrário, tu não existirás.
O que me faz te amar é o que não sara nunca,
A proximidade da distância,
A ausência enterrada sob o corpo.

No chão de pedras a flor é sempre única e feliz?


14 comentários:

Joelma B. disse...

"O que me faz te amar é o que não sara nunca,
A proximidade da distância,
A ausência enterrada sob o corpo."

tantas vezes a pele se faz lápide do que já fizemos nosso,mas nunca nos pertenceu!

Intenso como sempre!

Beijinho com admiração que cresce a cada dia, Ira, mais que brilhante!

Assis Freitas disse...

belo, belo e doído como o amor,



beijo

AC disse...

Perguntas assim, vindas dos confins onde tudo é interrogação, não têm resposta. Resta-nos, apenas, um arremedo de convicção, seja lá o que isso for (às vezes é uma flor).

Beijo :)

Marcelo R. Rezende disse...

Lindo lindo lindo lindo (sem vírgulas porque há fome de gritar).

Te amo nesses detalhes absurdos, Ira.

LauraAlberto disse...

este amor que não não tem cura e cada vez doi mais não me é em nada estranho

obrigada por o deixares tão bem escrito pelas tuas mãos

beijinho

Cecília Romeu disse...

Ira,
que lindo, querida aquariana!
"Amar é um deserto e seus temores..." (Djavan - Oceano).
Pergunto a ti, mesmo sabendo disso, não somos muito mais felizes amando? Simplesmente, amando?

Beijos e ótimos dias!
Teus poemas deixam minha alma mais gorda.

Ira Buscacio disse...

Ciça, lindona, eu entendo a pergunta e até digo ser bem possível, em regra geral, mas como toda regra tem um doido, eu te respondo apenas com o meu olhar, o que bóia sem jamais entender o mar. Eu inventei um amor, que vivo intensamente, em cada detalhe dos meus dias, no meu cotidiano, nas surpresas, nas pessoas, nos objetos, no velho, no novo e isso não me faz uma pessoa feliz, tb não me faz infeliz, no entanto, me sinto preenchida por uma calma estranha, que chamo de liberdade. E tenho todas as tristezas do mundo, e tenho todos os ruídos dos átimos de felicidade Quanto ao amor que a fêmea empresta ao macho, eu penso que, ainda que o objeto do amor não seja possível, é melhor que se tenha alguém a despertar imagens, sensações e poesia, feliz ou infeliz, do que conviver com um hiato no peito.
Adorei a pergunta, que me proporcionou essa reflexão, meio que uma conversa comigo mesma.
Bj gigante pra ti, querida

A.S. disse...

Tão belo Ira!...


Beijos poeta!
AL

dade amorim disse...

Se a questão é citada do Djavan, então "vem me fazer feliz porque eu te amo".
Da flor não tenho certeza...

Beijo, Ira.

Cecília Romeu disse...

Ira, lindona!
Adorei a tua resposta!

Voltei por curiosidade, nem esperava que você responderia.
Muito inteligente e sensível é você, prazer imenso em estar te conhecendo.

Grande beijo e ótimo feriado!

Cris de Souza disse...

Ira- poeta de faces fascinantes!

Beijosss.

(qualquer hora vou te levar pro meu mural, tá)

Carol disse...

Que bela letra! Boa semana pra vc!

Nilson Barcelli disse...

Um poema bem íntimo, onde o amor sobrevive graças à ausência.
Isso acontece, na verdade, principalmente em feitios incompatíveis. Ou então pelo gozo do caminho, que terminha logo que a chegada aconteça...
Em qualquer caso é um excelente poema. Parabéns pelo talento que as tuas palavras revelam.
Ira, querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Jorge Pimenta disse...

"o que me faz te amar é o que não sara nunca"
tivesse eu dez mil outras almas e seria essa força que traga pelo lado de dentro...

beijos, minha querida amiga!

p.s. posso levar esta frase como incipit?...