INSPIRAÇÕES DO POETA

10 de jul de 2012

Theatron II - Cena Aberta




A cabeça anda de ré, sem recuperação,
Nem as mãos falam mais, apenas suspiram mínimas.
Quem te viu... Oh, boca de tantas cores
E principalmente carmim...
Não há mais!
Não há mais lábios, nem língua.
A voz se atira do alto, acima do queixo,
Irreverente cai no chão
Diante dos pés proscritos a contar podres
Até onde não devia.
O público injuria!

Da nuca ao rego, enquanto anseia o cadáver,
Uma serpente aguarda o óbito.
Ela injeta veneno nas vértebras,
Veneno que amaldiçoa vísceras,
Com toda espécie de cretinices.
Súbito, o mijo acontece!
Frouxo de ri e estéril,
Mas sem constrangimento.
A merda, não!
Esta é o vexame humano,
A censura, o esgoto,
O que anuncia igualdade
E submete ao trono reis e plebeus.
O excremento alisa a perna varizenta
E acusa dor tão moral que a carne aflige.
O público faz à egípcia!

Meu Deus, quantos olhos há no mundo!
Quantos pensam em fuga?
Diz o peito constrito de vestígios,
Arquivos, listas e assinaturas.
O coração não agüenta o peso do drama
E se entreva em cena aberta,
Enquanto a comédia continua na platéia.

15 comentários:

Carolina disse...

O coracao pode ser rasgado mas o show deve continuar. Cante! dancar! as pessoas estao aplaudindo e se está morrendo nao importa, a gente nao sabe a sua dor ..!
Um beijo grande, genia querida.

Patrícia Pinna disse...

Boa tarde, Ira. Concordo que o coração não aguenta o peso do drama, ele sucumbe na maioria das vezes, o meu sucumbe, não consigo ser comédia aos outros enquanto no drama atuo.
Fugir, fazemos isso de várias formas, cada qual tem a sua bem particular, mas que na realidade dão em lugar algum, é pura ilusão cênica.
Beijos, amiga talentosa. Tem comentário abaixo!
Fique na paz de um dia abençoado!

LauraAlberto disse...

reescrevres tão bem um tragédia

que os deuses não te ouçam, que não te descubram

tu és fogo Ira

beijinho
[sempre com admiração]

Fred Caju disse...

Estou na primeira fila do camarote, aviso logo.

O Profeta disse...

Como se ama uma planta que não floriu?
Como se ouve um coração em silêncio total?
Como se sente uma dor que a paixão desenhou?
Como se alcança o Sol quando o dia morreu, acabou?

Um Outono invadiu esta ausente Primavera
Povoei esta ilha com palavras em baixela de poesia
Encontrei uma casa da manhã com verdade e revolta
Construi a claridade com fogo de uma chama já morta

Bom fim de semana

Doce beijo

AC disse...

A plateia foge, tentando evitar reconhecer-se no limbo. Mas a fuga é reconhecimento.
Demolidora, Ira!

Beijo :)

Nilson Barcelli disse...

Comédia ou tragicomédia.
O público, petrificado, talvez se borre mesmo...
Foste fabulosa neste poema. Parabéns pelo teu talento.
Ira, minha querida amiga, tem uma excelente semana.
Beijo.

Cissa Romeu disse...

Ira, linda aquariana!

Fiquei instigada por aqui...,
afinal, a plateia é um grande personagem-ator-nato.

Beijos e ótimos dias!

Sonhadora disse...

Minha querida

A vida é mesmo o contorcer do corpo e da alma em agonia, uma trama em que por vezes o actor principal morre antes de fechar as cortinas.
Esta conversa toda para te dizer que perdi as palavras lendo-te, ÉS IMENSA.

Beijinho com carinho
Sonhadora

Malu disse...

Mesmo sem aguentar o peso do drama é necessário viver até a última cena. Forte e intenso!!! Adorei,minha querida!!!

Rob Novak disse...

O meu coração não aguenta o peso do drama e apenas interpreta uma comédia. O que ele é, realmente, ninguém nunca soube. A ele não foi dado uma fala. Apenas figura.
Muito bom!
Bjo

Jorge Pimenta disse...

e o palco faz-se gárgula a ejacular sangue pútrido até à raiz animal. e por isso urra, ele, o homem que subiu as escadas, acreditando que com máscara não teria rosto. agora, tarde de mais: nenhuma peça se reescreve pela mesma mão.

beijos, amiga, adivinhando neste texto tudo quanto perdi por não saber ganhar. teria sido melhor? há perguntas que nem se fazem por nenhuma resposta nos bastar.

Érica Amorim disse...

Um beijãO Ira...

passando por aqui porque é bom e faz bem, sempre!

Evanir disse...

A amizade é o convívio do dia-a-dia.
Estar juntas nos momentos felizes e nas horas
difíceis
compartilhar o sofrimento
um do outro( outra) dividir momentos de felicidade.
È a cumplicidade é compriender e acima de tudo
confortar quando algum de nossos amigos(AMIGAS)
precisam de uma unica palavra de carinho para fazer seus dias melhores.
Não podemos chamar de amigo (A) aquele que sem motivos
se afasta de nós quando mais precisamos de
uma palavra de carinho .
Um feliz Dia do amigo .
Obrigada por um dia ter colocado mu nome
na sua lista de amigos(AS).
Que seu final de semana seja feliz
sua amiga para sempre,Evanir.
FELIZ DIA DO AMIGO.
Evanir..

Cris de Souza disse...

uma salva de palmas, por gentileza!