INSPIRAÇÕES DO POETA

20 de out de 2010

Primeiro Tango




Tem 30 anos, quase menino, quase homem, quase anjo, quase demônio, um todo de quases conexos, maior que o Empire State Building e do alto de sua boca cheia de carne, ele grita: I can’t get no satisfaction!

Mesas, cadeiras, faturas, tudo muito pouco promíscuo pra quem tem útero na alma e quer gozo pra fertilizar, e gerar dons, liras, unicórnios, deuses e pari-los com seu timbre artístico e inquieto.

Das entranhas submergem ânsias de longa metragem, ao som de um sax choroso e ele rasga o verbo no tempo blues. O ciclope de Lícia constrói muralhas contra os medíocres e pisa sobre o fogo. É que às vezes, ele fica rock and roll.

Baby me ensina coisas de adulto, e menina perco o fôlego, quando me convida a sentar num inferninho barato e pede três doses de wisky, dois pra gente e um pro senhor Bukowski.

Eu abro as pernas, de saia curta, pra combinar com o tema e fico mais a vontade, o senhor de excessos aspira a fumaça obscena e morre na nossa frente, a gente acha engraçada a cena com replay, mas é só por que dói pra cassete.

Esse cara, que quer voltar pra cidade fria gosta de aquarianas, me confunde e morde as palavras que calo. Cospe na minha língua, eu me banho de lambidas dos seus restos, depois devolvo, concretamente, em poemas histéricos.

Espantoso, como não é saudável esse tango descompassado, sem reverbe, mas foi o que me apanhou no acaso de uma noite qualquer de música.

Baby, meu coração cansado é involuntário e dançou.

17 comentários:

Lily disse...

Paixao desenfreada. Impulso em pulsos firmes, cheirando a bebida forte eh morrer sem sentir dor, so gozo.
Ira, venho te deixar um beijo com cheiro de lilys.
Em 2011, a gente se encontra pra uma nova folia, feito a musica do Montenegro.

Suzana

Rosane Marega disse...

Bom dia e que seja um dia lindo!
Beijossss

AC disse...

Ira, o seu texto, forte e intenso como sempre, encerra em si a pura linguagem dos sentidos...

Beijo :)

Jorge Pimenta disse...

ira, doce amiga,
contigo as palavras nunca são meãs, nunca anunciam hiatos, jamais tocam o quase. ou são ou não são. e neste quadro de convicções, que ninguém se sinta defraudado; é que dizer assim é muito mais que poder.
um beijo!
p.s. esta passagem é uma bomba armadilhada - "Esse cara [...] me confunde e morde as palavras que calo. Cospe na minha língua, eu me banho de lambidas dos seus restos, depois devolvo, concretamente, em poemas histéricos."

Carolina disse...

Oi Ira!
você tem um grande talento, esta é uma grande variação de O Último Tango em Paris. Sobre esta pelicula me lembro que Maria Schneider passou maus momentos nesse já lendário filme.

que tengas un hermoso dia!! Beijos.

| A.Luiz.D | disse...

Ira,

Que surpresa!!!,
isso é apaixonante,
Essa aula de tango
está evoluindo muito rápido.
Nas primeiras passadas e olha só
que texto magnifico.
Sincronia de amantes.
Desse jeito, em breve vc
escutará um som peculiar de sax
entrando pela sua janela.

Baby Ira, que gosto tanto...

POESIAS EM FOCO disse...

um texto divinalmente criativo, parabéns poetisa.

Mimo Chic disse...

querida Ira, que presente conhecer seu santinho, nossa estamos encantadas, muito bom gosto! Um prazer...
Ja estamos seguindo,rsrs
esperamos retribuir com carinho no nosso blog!!
bjs
Lulu & Sol

Sil.. disse...

Lindona,


Todos os seus textos tem essa coisa forte de sedução, ahhhh...

Adorooooooooo isso!

Aqui, a gente exercita todos os sentidos.

Beijãoooooooo meu!!

Franck disse...

Bem nos disse Cazuza: 'nas noite de frio é melhor nem nascer, nas de calor é matar ou morrer'...
Bjs*

LUFE disse...

Ira,
texto intenso, gostoso de ler em um só folego...
Sensual, as vezes cru, nos coloca em cena...
muito bom

bjo

Lua Nova disse...

É tudo... demais! Um entrelaçar de palavras cruas como se fossem as coxas dos dançarinos de tango, o último em Paris!
Mulher, vc é demais! Sensual, inteira, intensa, fêmea e poetiza!
"Mesas, cadeiras, faturas, tudo muito pouco promíscuo pra quem tem útero na alma e quer gozo pra fertilizar, e gerar dons, liras, unicórnios, deuses e pari-los com seu timbre artístico e inquieto."
Beijoka, querida.

José Carlos Brandão disse...

Dança, coração.
Pode ser até triste, como um tango. Mas como é bom dançar!
Beijo, Ira.

meus instantes e momentos disse...

virou vicio voltar aqui.
Sempre muito bom, sempre intenso, sempre vida.
Gosto daqui.
Maurizio

Kátia disse...

Oiee!! Queridona que texto, hein?
Sedutora e talentosa.
Te adoooro!
Beijos!!

Phivos Nicolaides disse...

Τexto agradável, bela como a tua alma, beijos, Felipe

Palavrácido disse...

Quantos impulsos, quantas palavras fortes! Gostei do poema, adorei vir aqui, ja estou a te seguir!

Grandes beijos

Dan