INSPIRAÇÕES DO POETA

16 de jun de 2011

ALFABETO DAS DESGRAÇAS - Letra D - DEMÊNCIA




Por que a vontade de sorrir chorou
E a passarela da Brasil ficou de pé?
Até quem é de briga, não injuriou.
Parou pra ver a louca andar de ré.
Será que é mansa essa mulher de lua
Ou tem vertigem de provocação?
Será somente a mente que flutua,
Enquanto o corpo soluça no chão?

Havia burburinho de vozes, sem dono, na porta do café chinfrim.
Na quina do balcão viu a mão que se soltara dela batucar feliz.
Tentou alcançá-la, que nada! Ela saiu desafinando um bom Jobim.

Bebeu mil goles, de esvaziar copos e olhos, a pobre moça de fração
Depois com dó de si guardou a boca suja pra nunca mais se ouvir.
Dançou! Como quem é de hospício, lúcida e nua, na rua em contramão

Girou, girou,
Cada momento perverso
E caiu verso
No último quarteirão

11 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Amiga Ira, estou passando por aqui para apreciar a tua arte e ao mesmo deixar o meu abraço.
Tenha um bom dia.

Ana Luiza Cabral disse...

Sou uma apaixonada por poemas. E essa tua sensibilidade de escrever já me fez íntimas dos seus. Adorei tudo por aqui! Seguindo. Beijos!

http://analuizacabrall.blogspot.com

Analuz disse...

A emência sob tua maestria transforma-se em estado de graça!

Beijinho de quinta, Ira brilhante!

Fernand's disse...

A P L A U S O S!!!


lindo, ira.

Evanir disse...

Você é um dos anjos amigos que enchem de bençãos meus Dias.
Meus anjos virtual que me ensinam a voar
e mostram onde vou pousar na minha realidade.
Com essa força que recebo tenho certeza
Em breve só terei benção para contar
com o carinho estimulo e aconchego
que recebo.
Por isso eu agradeço essa amizade
que faze
meus dias serem melhores e mais bonito.
beijos no coração,,Evanir.

Carolina disse...

Pobre moça, ela se sente um forte vácuo existencial é o sinal dos tempos.
Estou enviando-lhe um grande abraço, meu querida Ira.

Marcia disse...

Amiga querida que dominio de palavras rs! adoro ! Um beijão pra ti!
Deixo aqui meu e-mail.
marcinha_morena_@hotmail.com

Carla Fernanda disse...

LIndo!
Quando perdemos tudo e tudo nunca foi nada talvez.
Gosto daqui e de ler-te!
Beijos!!
Carla

Joop Zand disse...

Wonderful work on your blog Ira, very well done.

greetings from Hollanda, Joop

Assis Freitas disse...

D de doído, demais


beijo

carmen silvia presotto disse...

Caiu verso e viveu poesia...e ao te ler me vem um sopro da Construção de Chico, há muito ritmo sempre em teus versos e agora ele está lançando A descosntrução e penso que a letra D vem junto a este tempo, triste, doído que em poema sempre transforma...

Beijos, Ira e bom final de semana, mas antes vou ler a letra E...

Carmen.